O Centro de investigação da Faculdade de Gestão de Turismo e Informática da UCM, realizou no passado dia 12 de Junho do ano em curso nas suas instalações um workshop com o tema “Casamentos prematuros e Gravidez Precoce: suas implicações na Saúde e Educação da Rapariga”.

O workshop contou com a participação da comunidade académica da FGTI, Direcção Provincial de Educação e Desenvolvimento Humano (DPEDH), Direcção Provincial do Género, Criança e Acção social (DPGCAS), matronas (parteiras tradicionais) e líderes comunitários. Este workshop visava responder um dos objectivos do projecto financiado pelo FNI intitulado “Ritos de iniciação na província de Cabo Delgado: práticas, crenças e implicações na educação e escolaridade da rapariga, coordenado pela Professora Doutora Bianca Gerente, Dirrectora da Faculdade.                                

O evento começou com a projecção de um vídeo, intitulado “A história do meu casamento prematuro”, que contava a história da Mariamo, uma menina que aos 14 anos foi obrigada a casar e abandonou a escola. Depois do vídeo, a Directora da Faculdade, Professora Doutora Bianca Gerente deu as notas de boas vindas aos presentes e fez a contextualização sobre o objectivo do workshop.

O evento esteve dividido em dois painéis, sendo que o primeiro foi composto pela Dra. Hermingarda Rapalião, docente e investigadora do projecto, que abordou sobre o tema: “O papel da cultura na educação da rapariga”. Neste contexto, a cultura vem auxiliar a educação da rapariga para ajuda-la a ser esta mulher do amanhã e construir a sua própria identidade.

Ainda, neste painel o Dr. Hélio Veda, docente do curso de Direito, apresentou o tema sobre os “Mecanismos legais de protecção do direito da rapariga”, tendo sublinhado a ideia de que em Moçambique existe um quadro legal que estabelece o acesso à justiça e protecção dos direitos humanos. Feitas estas duas apresentações foi aberta a sessão de debate em torno dos temas apresentados e foram avançadas algumas sugestões de melhoramento.

No segundo painel, a primeira intervenção foi a do Sr. Augusto Dambe, conselheiro da Faculdade em matéria de Saúde Reprodutiva,género e HIV-SIDA que abordou sobre o tema: “Efeitos da gravidez precoce na saúde da rapariga”. No que tange aos efeitos da gravidez precoce pode-se verificar que em termos de implicações da gravidez precoce, o bebe pode nascer prematuro, com baixo peso ou nado morto, a mãe adolescente pode contrair uma fístula obstétrica. A segunda apresentação foi feita pela Dra. Sónia Pinto, docente, que falou sobre os “Benefícios da educação na vida da rapariga e na saciedade”, deixando ficar que quanto aos benefícios, podemos verificar a exploração do potencial humano, uma maior integração social, entre outros.

Na sessão do debate sobre os temas deste painel, os presentes disseram que ainda há muito trabalho a ser feito para evitar os casamentos prematuros e a gravidez precoce. Neste contexto, os pais também têm um papel fundamental nessa tarefa, devendo, ao nível das famílias, quebrar os tabus e promover diálogos entre pais e filhos.

No final do workshop, a Directora da Faculdade, agradeceu a presença de todos, tendo afirmado que cada um dos presentes tem um papel activo no combate aos casamentos prematuros e gravidez precoce.

Texto: Catija Bhikha e Joana Soares:

Fotos: Joana Soares e Edson Tomé