Licenciatura

 

Licenciatura em Administração Pública

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Técnico de Administração Pública

Duração:

4 Anos


O curso de Licenciatura em Administração Pública rege-se pela Lei n.27/2009 de 29 de Setembro, sobre o ensino superior, publicada no Boletim da República I Série, Número 38; pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique e pelo Regulamento em vigor na FENG. O curso visa formar profissionais qualificados para actuar nos vários domínios de Administração Pública:

  • Administração Autárquica
  • Finanças e Orçamento Público
  • Políticas Públicas e Governação
  • Relações Públicas.

O curso foi concebido para os regimes à distância e presencial, sendo que para os dois primeiros graus académicos são concedidos licenciatura e pós-graduação. Desta forma, todos os candidatos que tenham o bacharelato em programas relacionados, como Economia, Gestão, Sociologia, Filosofia, Psicologia, Direito, etc., podem adquirir o grau de Licenciatura em Administração Pública.

A intervenção do Estado nos aspectos políticos, económicos, sociais e tecnológicos para a regularização dos problemas surgidos nos mecanismos é imprescindível. Assim, este curso pretende desenvolver um programa que permitirá dar um upgrade aos quadros do Sector Público, para que possam dar respostas adaptadas às várias necessidades que o País apresenta e/ou poderá apresentar no futuro.

Perfil

O licenciado em Administração Pública é um profissional capaz de responder aos desafios colocados nos serviços público e privado: modernização, proximidade e dinamismo. Os graduados deste programa são profissionais com as seguintes capacidades:

  • Fazer uma apreciação do sistema governamental, requisitos legais, governação e ética, gestão pública e desenho de políticas, partindo de perspectivas teóricas para métodos práticos;
  • Perceber como as instituições públicas são estruturadas, a composição do quadro do pessoal e recursos materiais, bem como o modo de implementação das políticas, incluindo a apreciação de queixas e de recursos de cidadãos e outros clientes do governo Moçambicano.

Competencias

O licenciado em Administração Pública terá, no fim do seu curso, as seguintes aptidões:

  • Adquirir competências teóricas em segmentos específicos do saber jurídico e económico, na óptica da Administração Pública;
  • Apreender os mais recentes conhecimentos e desenvolvimentos nos domínios da gestão das políticas, regulação e contratação públicas e do seu quadro institucional e organizacional;
  • Conhecer as principais teorias e abordagens da área da Administração Pública;
  • Conhecer como e porquê as políticas governamentais sociais e económicas são elaboradas e implementadas, como as instituições públicas são estruturadas, a composição do quadro do pessoal e recursos materiais, e como são implementadas as políticas, incluindo a apreciação de queixas e de recursos de cidadãos e outros clientes do Governo;
  • Conhecer os fundamentos e conceitos básicos da administração pública;
  • Demonstrar uma cultura de investigação e pesquisa em matéria de assuntos sociais.
  • Desenvolver competências que permitam uma aprendizagem constante ao longo da vida, com um certo grau de autonomia;
  • Reflectir e racionalizar os métodos e práticas de gestão da Administração Pública;
  • Saber apreciar o sistema governamental, requisitos legais, governação e ética e gestão pública, e desenhar políticas, partindo da perspectiva teórica para métodos práticos;
  • Saber contribuir para a formação permanente, a integração e a adaptabilidade profissionais, com o inerente reforço da empregabilidade local e nacional;
  • Saber investigar e inovar, nos domínios das ciências jurídicas, económicas aplicadas e da Administração Pública;
  • Ter capacidade de adaptação à modernização e mudança na Administração Pública, em particular no que diz respeito à sociedade do conhecimento.

Saídas Profissionais

Os licenciados deste curso poderão enquadrar-se, especialmente, no sector público; contudo, abre horizontes para a administração no sector privado. O objectivo do curso é a formação e capacitação de profissionais capazes de operar em vários domínios do sector público. Eis algumas possibilidades:

  • Administração e Finanças
  • Administração e Gestão Pública
  • Auditoria e Fiscalidade
  • Contabilidade e Administração
  • Contabilidade e Finanças Públicas
  • Contabilidade e Fiscalidade
  • Gestão de Recursos Humanos
  • Gestão do Património
  • Gestão Pública e Autárquica
  • Gestor de Empresas Municipais
  • Gestor de Organizações Não Governamentais
  • Gestor nas Empresas públicas e privadas
  • Gestores em instituições participadas pelo Estado
  • Gestores na Administração Pública central e local
  • Gestores nas Instituições privadas, em particular as fornecedoras de bens e serviços ao Estado

Plano Curricular

Para completar o curso de Licenciatura em Administração Pública, cada estudante deverá aprovar a todas as disciplinas ou módulos do plano curricular, os quais perfazem um total de 180 créditos académicos.

Licenciatura em Contabilidade e Auditoria

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Contabilidade e Auditoria

Duração

4 Anos


O curso de Licenciatura em Contabilidade e Auditoria foi introduzido em 2010 pela Universidade Católica de Moçambique - Faculdade de Economia e Gestão (FEG), na Beira. É leccionado em regime presencial e tem a duração de quatro anos. Este curso revela-se um instrumento metodológico indispensável à garantia da conformidade de interpretação dos registos financeiros, bem como à fiabilidade dos respectivos conteúdos, desempenhando uma função imprescindível na facilitação da globalização dos negócios.

Actualmente, o Mercado identifica a necessidade de acolher profissionais com estas competências, que permitam responder às vicissitudes e características apresentadas pelas exigências crescentes do mundo dos negócios. O sector público também necessita de profissionais com este perfil, habilitados para aplicar os princípios contabilísticos patentes no Plano Geral de Contabilidade (PGC) e respectivos planos sectoriais.

Atendendo à procura do mercado, o curso de Licenciatura em Contabilidade e Auditoria responde ao desafio da formação moderna que requer quadros competentes, capazes de lidar com o actual ambiente de negócios. A Licenciatura também prepara os estudantes para dois importantes tipos de Auditoria: Interna e Financeira, fornecendo as competências necessárias para que os futuros licenciados possam ser reconhecidos pelo organismo Internacional - Institute of Internal Auditing.

Perfil

O graduado em Contabilidade e Auditoria tem um conhecimento global do funcionamento de uma organização e dos seus ambientes. Possui conhecimentos práticos e teóricos, universalmente aceites, e está habilitado a desenvolver as suas actividades em instituições que operam nos mercados monetário e financeiro, bancos, seguradoras, organizações empresariais privadas e públicas, empresas de Auditoria e Consultoria, ONG’s, entre outras.

O graduado tem facilidade em trabalhar em equipa, conceber soluções para problemas concretos, desempenhar tarefas que exigem uma dedicação elevada e, muitas vezes, com grande autonomia.

Competências

O licenciado em Contabilidade e Auditoria deve adquirir, ao longo do curso, as seguintes competências básicas de formação profissional:

  • Capacidade para aprender e desenvolver a teoria e a prática contabilística, bem como o meio envolvente em que se desenvolveu e vai aplicar;
  • Capacidade para processar e compilar a informação contabilística e iniciar a sua interpretação/ análise;
  • Saber utilizar o Software informático apropriado para processamento da informação contabilística;
  • Capacidade para proceder à análise e relevação contabilística das diferentes operações empresariais;
  • Diferenciar entre os fins da contabilidade e da fiscalidade e seus efeitos;
  • Encerrar as contas e apurar os resultados do exercício;
  • Elaborar o balanço, a demonstração de resultados líquidos, a demonstração dos fluxos de caixa e o anexo;
  • Preparar e elaborar demonstrações financeiras consolidadas;
  • Capacidade para preparar relatórios e contas intercalares, anuais e por segmentos;
  • Aprender a noção e importância dos investimentos financeiros;
  • Dominar o tratamento contabilístico legal/fiscal das operações especiais e das imobilizações;
  • Aplicar as normas internacionais de contabilidade no registo das transacções e na apresentação das demonstrações financeiras;
  • Conhecer os conceitos e aspectos fundamentais inerentes à profissão e ao processo de auditoria, incluindo as funções dos auditores, os princípios e normas por que se regem e respectiva responsabilidade;
  • Abordar os princípios éticos e deontológicos.

Saídas Profissionais

A Licenciatura em Contabilidade em Auditoria tem por objectivo formar profissionais com competências nas áreas de Contabilidade, Fiscalidade e Auditoria.

Estes profissionais estão preparados para assumir as seguintes funções:

  • Responsáveis de contabilidade em empresas,
  • Responsáveis pela gestão fiscal nas empresas,
  • Auditores,
  • Gestores financeiros,
  • Consultores na área de Contabilidade e Fiscalidade em empresas privadas, empresas e serviços do Estado, bem como em empresas do ramo de consultoria contabilística e fiscal e firmas de auditoria. Para além disso, este curso satisfaz os requisitos académicos para inscrição como Técnico Oficial de Contas.

Plano Curricular

Número de vagas : 120 alunos( duas turmas de 30 alunos no periodo laboral e duas turmas de 30 alunos no periodo pós laboral).

Para completar a parte académica do 1.º ciclo de 4 anos (Licenciatura), somando um total de 240 créditos.

Licenciatura em Direito

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Direito

Duração:

4 Anos


Perfil

O licenciado em Direito é um jurista que pode aplicar o seu saber e os seus conhecimentos no aconselhamento a toda e qualquer situação da vida social e, ao contrário do que se possa pensar, a sua actividade não é apenas litigiosa, sendo mais eficaz e mais plena quando a sua actuação se desenvolve naquilo a que hoje chamamos de “advocacia preventiva”.

Como profissional, o licenciado em Direito mostra uma polivalência e interdisciplinaridade muito fortes, no actual contexto da globalização e da “febre legislativa” a que assistimos.

Quase nada queda exterior ao mundo do Direito, e é esse mundo de possibilidades que pretendemos oferecer aos nossos estudantes, com qualidade e inovação.

No âmbito da missão da Universidade, pretendemos desenvolver, nos nossos estudantes, uma consciência crítica positiva e capaz de solucionar com sucesso os conflitos que possam surgir, trazendo soluções justas e preconizadas na ratio e no espírito do legislador.

Competências

O licenciado em Direito deve reunir no final da sua formação, além da capacidade de interpretação e aplicação de qualquer solução legislativa, as seguintes competências:

  • Aconselhar a qualquer cidadão ou entidade no cumprimento dos ditames legais, criando situações hipotéticas que elucidem o ouvinte, quanto às consequências jurídico-legais do incumprimento do estipulado na lei;
  • Defender e promover os direitos humanos e os direitos fundamentais preconizados pelo legislador constituinte;
  • Descrever correctamente os processos de aplicação das normas, tendo em conta a sua estrutura de previsão e estatuição;
  • Descrever e analisar os fins das penas e das medidas de segurança, tendo em conta a proporcionalidade e a ressocialização dos infractores;
  • Desenvolver uma forte capacidade de argumentação;
  • Enquadrar o sistema jurídico moçambicano dentro da família romano-germânica, sem obliterar o seu enquadramento regional;
  • Fazer o enquadramento jurídico-legal de qualquer situação fáctica ao mundo do Direito;
  • Incutir e promover os valores da Justiça, ética e bem-estar social;
  • Promover o respeito pela legalidade e pelas instituições;
  • Solucionar os litígios que se lhe apresentam, tendo em conta os interesses protegidos e acolhidos pelo legislador.

Saídas Profissioanais

As oportunidades que se apresentam ao licenciado em Direito constituem um leque vasto em que podemos citar, de entre outros:

  • Advogados;
  • Chefes de departamento jurídicos de empresas privadas;
  • Conservadores de Registo;
  • Consultor jurídico de empresas ou instituições do Estado;
  • Consultores jurídicos;
  • Diplomatas (Relações Internacionais);
  • Magistratura do Ministério Público (Procuradores da República);
  • Magistratura Judicial (Juízes);
  • Municípios, Governos e Assembleias Provinciais;
  • Notários;
  • ONG´s que trabalham no âmbito dos Direitos Humanos;
  • Organizações internacionais, incluindo as regionais;
  • Recursos Humanos.

Plano Curricular

Um percurso trienal de orientação jurídico-especializado, centrada em duas áreas que caracterizam o ordenamento didáctico da Faculdade, privilegiando o estudo dos diversos sistemas e institutos jurídicos numa perspectiva histórica, comparada e internacional. A divisão do plano de estudos em dois ciclos permite a obtenção de:

  • Licenciatura em Direito de Estado e Democracia (trienal)
  • Licenciatura em Direito Económico e Social (trienal)

Licenciatura em Economia e Gestão

Grau académico:

Licencuatura

Título Profissional:

Licenciado em Economia e Gestão

Duração

4 Anos


O curso de Licenciatura de Economia e Gestão está organizado de acordo com a Reforma de Bolonha, pelo sistema de unidades de crédito e disciplinas semestrais, e tem a duração de 4 anos. O plano de estudo inclui um conjunto de disciplinas de grande qualidade de Teoria Económica e de Economia Aplicada, entre outras, como Contabilidade e Gestão. As cadeiras e o estágio que oferecemos, assim como a relação entre a faculdade e o meio, permitem, por um lado, uma adaptação adequada ao mercado de trabalho, e por outro, uma constante atenção aos contributos recentes da aplicação da Teoria Económica.

A Licenciatura tem-se revelado apropriada ao mercado de trabalho que requer principalmente funções técnicas e executivas em instituições financeiras e em pequenas e médias empresas de diversos sectores de actividades. De facto, os empregadores têm, ao longo dos anos, recrutado de forma muito favorável os licenciados em Economia e Gestão pela Faculdade de Economia e Gestão (FEG).

Perfil

O graduado em Economia e Gestão está capacitado para enfrentar os desafios que surgem como resultado da transformação da sociedade actual, com mais destaque para os aspectos ligados ao mercado de emprego dinâmico.

O graduado deve ser capaz de fazer análises macro-económicas, aplicar os modelos económicos, actualizar conhecimentos teóricos e analisar as novas interpretações da teoria económica, ajustado aos fundamentos éticos.

Competências

O graduado em Economia e Gestão deve desenvolver as seguintes actividades:

  • Elaboração e coordenação de projectos e programas socio-económicos ao nível do território, ramo ou sector;
  • Elaboração e controlo de aplicação de princípios e procedimentos na gestão económica nacional, do ramo ou sector;
  • Participação e contribuição na definição , aperfeiçoamento e funcionamento do sistema nacional de estatística;
  • Participação na elaboração, desenvolvimento e aperfeiçoamento dos métodos económicos da economia nacional (sistema de preços, política salarial, política fiscal e monetária, política creditaria, política de investimentos);
  • Participação na planificação e organização das relações internacionais, ao nível económico e de cooperação, das relações monetárias e financeiras e do comércio externo;
  • Concepção, execução e avaliação da política de investimento no âmbito sectorial e nacional;
  • Formulação, implementação e controlo de programas e projectos no âmbito industrial e de investimento ao nível interno e externo;
  • Análise de gestão cambial, de créditos e seguros, bem como de outros produtos financeiros;
  • Investigação de problemas socio-económicos dos ramos da economia nacional e/ou regional.

Saídas Profissionais

O licenciado em Economia e Gestão tem um enorme leque de saídas profissionais em diversas áreas, algumas das quais são:

  • Economista
  • Auditor Financeiro
  • Assessor económico, financeiro e bancário
  • Gestor Administrativo-Financeiro
  • Gestor Comercial de Vendas;
  • Contabilista

Plano Curricular

Número de vagas : 60 ( uma turma de 30 alunos no pediodo laboral e uma turma de 30 no periodo pós laboral).

Para completar a parte académica do 1º ciclo de 4 anos (Licenciatura), cada estudante terá de aprovar às 39 disciplinas, somando um total de 240 créditos.

Licenciatura em Gestão Ambiental

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Gestão Ambiental

Duração:

4 Anos


O curso de Licenciatura em Gestão Ambiental rege-se pela Lei n.27/2009 de 29 de Setembro, sobre o ensino superior, publicada no Boletim da República I Série, Número 38; pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique; e pelo Regulamento em vigor no Centro de Informação Geográfica e Centro de Ensino à Distância. O curso visa formar profissionais com capacidades de compreender o meio natural, social, político, económico e cultural no qual está inserido e a tomar decisões em um mundo diversificado e interdependente, garantindo a sustentabilidade ambiental.

Este é um programa inovador, pertinente e moderno projectado para satisfazer as necessidades do país, permitindo aos graduados competir nacional e internacionalmente, nos sectores relacionados a Gestão Ambiental.

Perfil

O licenciado em Gestão Ambiental na UCM é um profissional com as seguintes habilidades:

  • Implementar a política ambiental da organização à qual está vinculado;
  • Avaliar diferentes meios alternativos de uso de insumos, processos e produtos, considerando-os sob o aspecto ambiental, de custos e de tempo;
  • Sensibilizar os demais indivíduos internos e externos à organização, propagando e consolidando a ideia de que essas actividades geram novas oportunidades de redução de custos e de melhoria de resultados, tanto para a empresa quanto para a comunidade; e
  • Conseguir a colaboração e o engajamento de todos os potenciais envolvidos, pois o sucesso de um processo de transformação organizacional e social está intimamente ligado à participação colectiva e à incorporação da variável cultural.

Competências

Esta modalidade de formação de professores e técnicos da educação confere competências, habilidades e atitudes que possibilitam ao graduado promover aprendizagens curriculares, divulgando a sua prática profissional num saber específico resultado da produção e uso de diversos saberes, nomeadamente, saber ensinar, saber ser e saber estar/conviver profissionalmente.

1. No domínio do saber fazer, o graduado do curso de licenciado em gestão ambiental:

  • Competências para na contribuição para a formulação, execução, acompanhamento, análise e avaliação de planos, programas, projectos e actividades na área de gestão ambiental como, por exemplo, programas de gestão de resíduos, de recursos hídricos, de áreas naturais protegidas, políticas públicas, difusão de tecnologias.
  • Conceber, desenvolver, implementar e documentar estudos de impacto ambiental (EIA) e relatórios de impacto ambiental (RIMA).
  • Conhecer e monitorar na organização à qual esteja vinculado, a aplicação das leis e regulamentos que regem as relações da sociedade com o ambiente.
  • Promover processos de educação ambiental formal, informal e não-formal em organizações e comunidades.
  • Dominar instrumentos capazes de internalizar nas estruturas institucionais os valores de responsabilidade ambiental e social, da justiça social e da ética, questionando práticas que contrariem estes princípios e propondo novas práticas.
  • Dominar e aplicar os instrumentos básicos e os procedimentos técnicos administrativos necessários para a realização das acções de gestão ambiental.
  • Desenvolver iniciativa, determinação, espírito empreendedor, vontade política e administrativa que produzam as mudanças necessárias nas organizações que pretendam evoluir e atender às novas demandas da sustentabilidade.
  • Desenvolver expressão e comunicação compatíveis com o exercício profissional, inclusive nos processos de negociação e nas comunicações interpessoais e intergrupais, bem como desenvolver capacidade de escolha do meio de comunicação mais eficiente para determinado grupo social inserido em determinada realidade.

2. No domínio do saber estar/conviver profissionalmente, o graduado do curso de Licenciatura em Gestão Ambiental:

  • Tem alta capacidade para resolver situações problemáticas e de conflito, respeitando as opiniões e ideias dos outros;
  • Valoriza as relações humanas e o papel do diálogo na condução da tarefa educativa.

Saídas Profissionais

O curso de Gestão Ambiental habilita o estudante a trabalhar em:

  • Organizações internacionais e Privadas, orientadas para o Sector Ambiental
  • Governos Municipais, Distritais e Provinciais na área ambiental
  • Empresas de Consultoria Ambiental

Plano Curricular

Para completar o curso de Licenciatura em Gestão Ambiental, cada estudante deverá aprovar a todas as disciplinas ou módulos do plano curricular, que perfazem um total de 240 créditos académicos.

Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado

Duração

4 Anos


 O curso de Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos, introduzido pela Universidade Católica de Moçambique, Faculdade de Economia e Gestão (UCM-FEG), tem regime presencial e a duração de quatro anos. Surge como um instrumento metodológico de formação de técnicos superiores em gestão de recursos humanos, para dar resposta à rápida evolução da função de recursos humanos no contexto actual da função pública e económica, e às exigências que se verificam na gestão do capital humano nas organizações.

O curso configura-se de maneira a que os alunos atinjam níveis de excelência no conhecimento e domínio da utilização dos instrumentos profissionais estudados, no quadro do processo de Bolonha, no que concerne a aquisição de conhecimentos, competências e saberes estabelecidos pelo respectivo nível académico. Pode, posteriormente, tirar o mestrado.

O curso de Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos requer, sobretudo, potenciar a formação de técnicos qualificados, cuja prática se guie pelo rigor do pensamento, pela abertura de espírito, pela ética e por critérios de elevada qualidade na acção profissional.

Perfil

O perfil profissional do licenciado em Gestão de Recursos Humanos é o de um gestor de pessoas no seio das organizações, capaz de planear e gerir os recursos humanos, nomeadamente no recrutamento e selecção, treino e desenvolvimento, avaliação de desempenho, rotinas de pessoal, gestão de carreiras, entre outros.

É também um consultor ou analista na área de recursos humanos, bem como um profissional que promove o desenvolvimento de competências relacionadas com o comportamento individual e organizacional, catalizando os processos de elaboração de planeamento estratégico, programas de qualidade de vida no trabalho e avaliação do clima organizacional.

Competêncais

O perfil profissional do licenciado em Gestão de Recursos Humanos é o de um gestor de pessoas no seio das organizações, capaz de planear e gerir os recursos humanos, nomeadamente no recrutamento e selecção, treino e desenvolvimento, avaliação de desempenho, rotinas de pessoal, gestão de carreiras, entre outros.

É também um consultor ou analista na área de recursos humanos, bem como um profissional que promove o desenvolvimento de competências relacionadas com o comportamento individual e organizacional, catalizando os processos de elaboração de planeamento estratégico, programas de qualidade de vida no trabalho e avaliação do clima organizacional.

Saídas Profissionais

O licenciado em Gestão de Recursos Humanos tem um vasto leque de saídas profissionais, podendo trabalhar nas seguintes áreas:

  • Consultor de formação profissional;
  • Consultoria em recursos humanos e formação profissional;
  • Organizações governamentais e não governamentais, a nível do departamento de recursos humanos;
  • Empresas de recrutamento e selecção;
  • Administrador de cargos e salários, planeamento de recursos humanos e administração de pessoal.

Plano Curricular

Número de vagas : 60 ( uma turma de 30 alunos no pediodo laboral e uma turma de 30 no periodo pós laboral).

O Plano Curricular da Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos apresenta a seguinte estrutura:

Para completar a parte académica do 1º Ciclo de 4 anos (Licenciatura), somando um total de 240 créditos académicos.

Licenciatura em Mineralogia com especialidade em Engenharia de Minas

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Mineralogia com especialidade em Engenharia de Minas

Duração:

4 Anos


O Curso procura responder às exigências do país em geral e da Província de Tete em particular, centrando-se na aquisição de conhecimentos, competências e capacidades necessárias para enfrentar os desafios relacionados com o investimento de profissionais na área da mineração.

O curso pretende, ainda, prestar serviços à indústria mineira, em particular na Província de Tete, onde se encontra implantada a Universidade Católica de Moçambique, bem como constituir-se numa referência e uma fonte de informação para a resolução de problemas económicos locais e regionais na área mineira.

Perfil

O licenciado em Engenharia de Minas é capaz de, tecnicamente e com competência, gerir efectivamente e com segurança a produção de actividades mineiras, numa gama variada de minérios. Para tal, ele deve ser capaz de planificar e gerir efectivamente qualquer tipo de operação de produção mineira.

Competências

O graduado em Engenharia Geológica deve desenvolver as seguintes actividades:

  • Conhecimento dos quadros teóricos e metodológicos relacionados com o sector de minas;
  • Conhecimento sobre a ética e deontologia de trabalho respeitando as normas e regulamentos sobre o trabalho mineiro;
  • Domínio de ferramentas no campo da prospecção geológica e mineira;
  • Domínio de técnicas de avaliação e levantamento topográficos;
  • Domínio de instrumentos de exploração mineira duma variedade de depósitos
  • Domínio de instrumentos ao nível do processamento de minérios.
  • Domínio em gerir efectivamente e com segurança a produção de actividades mineiras;

Saídas Profissionais

O licenciado em Engenharia de Minas tem um vasto leque de saídas profissionais, podendo exercer a sua actividade profissional nos seguintes contextos laborais (entre outros):

  • Consultoria no contexto das áreas de minas, geologia mineira e processamento mineral;
  • Prestar serviços nas empresas públicas e privadas, sobretudo na área de mineração;
  • Prestação de serviços no âmbito da indústria mineira.

Plano Curricular

O Curso adopta métodos inovadores centrados na aprendizagem do estudante. Isto significa que a responsabilidade pelo processo de aprendizagem é do estudante. Quanto ao docente, ele passa a ser, sobretudo, um gestor/mediador/facilitador de situações de aprendizagem.


A avaliação de cada disciplina constará de, no mínimo, três notas com peso igual, de cuja média simples se obterá a média de frequência, que terá um peso de 60 por cento: dois testes escritos (uma nota); dois trabalhos individuais em forma de ensaio (uma nota); dois trabalhos de grupo (uma nota). No final do semestre, o estudante será submetido a um exame final escrito, que terá um peso de 40 porcento

Licenciatura em Mineralogia com especialidade em Engenharia de Processamento Mineral

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Gestão Ambiental

Duração:

4 Anos


O Curso procura responder às exigências do país em geral e da Província de Tete em particular, centrando-se na aquisição de conhecimentos, competências e capacidades necessárias para enfrentar os desafios relacionados com o investimento de profissionais na área da mineração. O curso pretende, ainda, prestar serviços à indústria mineira, em particular na Província de Tete, onde se encontra implantada a Universidade Católica de Moçambique, bem como constituir-se numa referência e uma fonte de informação para a resolução de problemas económicos locais e regionais na área mineira.

Perfil

O licenciado em Engenharia de Processamento Mineral é tecnicamente competente para desenhar e gerir adequadamente operações de processamento de minerais numa gama variada de jazigos. Para tal, ele deve ser capaz de planificar e gerir efectivamente qualquer tipo de processamento de minerais e operações metalúrgicas.

Competências

O graduado em Engenharia de Processamento Mineral deve desenvolver as seguintes actividades:

  • Conhecimento dos quadros teóricos e metodológicos relacionados com o sector de minas;
  • Conhecimento sobre a ética e deontologia de trabalho respeitando as normas e regulamentos sobre o trabalho mineiro;
  • Domínio de ferramentas no campo da prospecção geológica e mineira;
  • Domínio de técnicas de avaliação e levantamento topográficos;
  • Domínio de instrumentos de exploração mineira duma variedade de depósitos
  • Domínio de instrumentos ao nível do processamento de minérios;
  • Domínio nas operações de processamento minerais numa gama variada de jazigos;
  • Domínio na planificação e gestão efectiva de qualquer tipo de processamento de minerais e operações metalúrgicas.

Saídas Profissionais

O licenciado em Engenharia de Processamento Mineral tem um vasto leque de saídas profissionais, podendo exercer a sua actividade profissional nos seguintes contextos laborais (entre outros):

  • Consultoria no contexto das áreas de minas, geologia mineira e processamento mineral;
  • Prestar serviços nas empresas públicas e privadas, sobretudo na área de mineração;
  • Prestação de serviços no âmbito da indústria mineira.

Plano Curricular

O Curso adopta métodos inovadores centrados na aprendizagem do estudante. Isto significa que a responsabilidade pelo processo de aprendizagem é do estudante. Quanto ao docente, ele passa a ser, sobretudo, um gestor/mediador/facilitador de situações de aprendizagem.

A avaliação de cada disciplina constará de, no mínimo, três notas com peso igual, de cuja média simples se obterá a média de frequência, que terá um peso de 60 por cento: dois testes escritos (uma nota); dois trabalhos individuais em forma de ensaio (uma nota); dois trabalhos de grupo (uma nota). No final do semestre, o estudante será submetido a um exame final escrito, que terá um peso de 40 porcento.

Licenciatura em Mineralogia com especialidade em Engenharia Geológica

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Mineralogia com especialidade em Engenharia Geológica

Duração

4 Anos


O Curso de Engenharia Geológica procura responder às exigências do país em geral e da Província de Tete em particular, centrando-se na aquisição de conhecimentos, competências e capacidades necessárias para enfrentar os desafios relacionados com o investimento de profissionais na área da mineração.
O curso pretende, ainda, prestar serviços à indústria mineira, em particular na Província de Tete, onde se encontra implantada a Universidade Católica de Moçambique, bem como constituir-se numa referência e uma fonte de informação para a resolução de problemas económicos locais e regionais na área mineira.

Perfil

O licenciado em Engenharia Geológica é capaz de identificar, avaliar e gerir os recursos geológicos e reservas, incluíndo as implicações da água subterranea. Para tal, ele deve ser capaz de efectivamente realizar todas as funções de um geólogo de minas, em particular a gestão dos recursos dos jazigos e exploração do ambiente da mina.

Competências

  • O graduado em Engenharia Geológica deve desenvolver as seguintes actividades:
    Conhecimento dos quadros teóricos e metodológicos relacionados com o sector de minas;
  • Conhecimento sobre a ética e deontologia de trabalho respeitando as normas e regulamentos sobre o trabalho mineiro;
  • Domínio de ferramentas no campo da prospecção geológica e mineira;
  • Domínio de técnicas de avaliação e levantamento topográficos;
  • Domínio de instrumentos de exploração mineira duma variedade de depósitos
  • Domínio de instrumentos ao nível do processamento de minérios.
  • Domínio na identificação, avaliação e gestão de recursos geológicos e reservas, inclíndo as implicações da água subterrânea;
  • Domínio na realização de todas as funções de um geólogo de minas em particular a gestão dos recursos dos jazigos e exploração do ambiente da mina.

Saídas Profissionais

O licenciado em Engenharia Geológica tem um vasto leque de saídas profissionais, podendo exercer a sua actividade profissional nos seguintes contextos laborais (entre outros):
  • Consultoria no contexto das áreas de minas, geologia mineira e processamento mineral;
  • Prestar serviços nas empresas públicas e privadas, sobretudo na área de mineração;
  • Prestação de serviços no âmbito da indústria mineira

Plano Curricular

O Curso adopta métodos inovadores centrados na aprendizagem do estudante. Isto significa que a responsabilidade pelo processo de aprendizagem é do estudante. Quanto ao docente, ele passa a ser, sobretudo, um gestor/mediador/facilitador de situações de aprendizagem.
A avaliação de cada disciplina constará de, no mínimo, três notas com peso igual, de cuja média simples se obterá a média de frequência, que terá um peso de 60 por cento: dois testes escritos (uma nota); dois trabalhos individuais em forma de ensaio (uma nota); dois trabalhos de grupo (uma nota). No final do semestre, o estudante será submetido a um exame final escrito, que terá um peso de 40 porcento

Licenciatura em Relações Públicas e Comunicação Estratégica

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Relações Públicas e Comunicação Estratégica

Duração:

4 Anos


O curso de Licenciatura em Relações Públicas e Comunicação Estratégica rege-se pela Lei nº 27/2009 de 29 de Setembro, sobre o Ensino Superior, publicada no Boletim da República I Série, Número 38; pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique e pelo Regulamento em vigor na Faculdade de Educação e Comunicação.

O curso foi reestruturado de modo a que obtivesse mais especificidade científica e fornecesse ao estudante competências que lhe permitam a integração no mercado de trabalho, no final do 1º ciclo de formação universitária. A adequação do curso procurou ter em conta a actualização dos currículos mais recentes das universidades, ao nível nacional e internacional, e distingue-se pelo seu carácter universitário. Está concebido a partir do conceito de que as Relações Públicas são um processo contínuo de planeamento estratégico de comunicação capaz de promover uma acção transformadora na sociedade, e ainda de promover e melhorar a qualidade dos relacionamentos das instituições com os seus públicos, o engajamento social e a valorização de negócios.

Perfil

O perfil profissional do licenciado em Relações Públicas e Comunicação Estratégica é o de um comunicador social e estratégico, com conhecimentos abrangentes para enfrentar o mundo moderno globalizado; de um gestor e comunicador dinâmico e criativo, com visão global em comunicação audiovisual e escrita; e de um técnico com conhecimentos especializados, teóricos e práticos, de Relações Públicas e Comunicação Estratégica.

Competências

Tendo em conta as exigências do mercado no âmbito do saber, do saber fazer e do saber estar, os licenciados devem adquirir ao longo do curso as seguintes competências básicas de formação profissional:

  • Aplicar métodos estatísticos;
  • Conhecer as teorias psicológicas e sociológicas da comunicação;
  • Conhecer conteúdos de educação, saúde e cultura;
  • Conhecer o direito da comunicação e o direito internacional público;
  • Conhecer os fundamentos da comunicação, das Relações Públicas e do Marketing;
  • Criar e desenvolver estratégias de um novo empreendimento;
  • Desenhar estratégias de comunicação organizacional;
  • Falar e escrever a língua inglesa;
  • Gerir recursos humanos e relações laborais;
  • Ler, interpretar, falar e escrever correctamente português;
  • Organizar e gerir eventos;
  • Pesquisar tendências do público no mercado;
  • Produzir um ensaio académico com lógica e fundamentação científica;
  • Produzir, utilizar e gerir jornais, cartazes, panfletos, desdobráveis, spots publicitários, webpages, blogs, podcasting, bluetooth;
  • Recolher, tratar e divulgar informação áudio-scripto-visual;
  • Relacionar-se com instituições governamentais e não governamentais;
  • Ser capaz de trabalhar em equipa;
  • Ser promotor do diálogo entre as diferentes culturas e religiões;
  • Ser um comunicador íntegro e ético;
  • Utilizar e promover as tecnologias analógicas e digitais da informação e comunicação.

Saídas Profissionais

O curso de Licenciatura em Relações Públicas e Comunicação Estratégica habilita o estudante para as áreas profissionais de auto-emprego, de gestão, assessoria e consultoria de Comunicação, Informação e de Relações Públicas.

Plano Curricular

Para completar a parte académica do 1.º Ciclo de três anos (Licenciatura), cada estudante terá de aprovar a todas as 36 disciplinas, somando um total de 180 créditos académicos.

 

Licenciatura em Tecnologias da Informação

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado  em Tecnologias da Informação

Duração:

4 Anos


O curso de licenciatura em Tecnologias da Informação rege-se pela Lei n.27/2009 de 29 de Setembro, sobre o ensino superior, publicada no Boletim da República I Série, Número 38, pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique e pelo Regulamento em vigor na Faculdade de Gestão de Turismo e Informática. O curso visa formar profissionais qualificados para actuar nos vários domínios do uso das tecnologias da informação, desde o hardware, as redes, as bases de dados ou a engenharia de software e programação.

As tecnologias da informação são uma ferramenta imprescindível para qualquer actividade no mundo moderno. Este curso pretende responder à demanda de profissionais que saibam dar respostas adaptadas às várias necessidades que em Moçambique existem e virão a existir nos próximos anos.

O curso responde às exigências de um currículo moderno, que fornece competências técnicas precisas para o uso das tecnologias da informação, com uma componente prática importante, os workshops incluídos na maior parte das disciplinas.

Perfil

O licenciado em Tecnologias da Informação na UCM é um profissional capaz de gerir tecnologias em três áreas principais: programação, administração de sistemas e de redes, e bases de dados. Os graduados deste programa são profissionais com capacidade de promover o uso de tecnologias de informação, preparados para responder e adaptar-se às necessidades tecnológicas de hoje e do futuro, do mundo no geral e de Moçambique em particular. A partir deste perfil geral, os estudantes poderão especializar-se em uma área específica a nível de mestrado.

Competências

O graduado em Tecnologias da Informação terá as seguintes competências:

  1. Em Programação:
    • Compreender os fundamentos básicos de programação, estruturas de dados e algoritmos.
    • Conhecer os fundamentos básicos sobre linguagens de programação imperativa e programação orientadas à objectos.
    • Conhecer os fundamentos matemáticos que sustentam as tecnologias informáticas.
    • Saber identificar, analisar, desenhar e implementar soluções para problemas relacionados com Tecnologias de Informação e comunicação.
    • Saber gerir projectos e serviços na área de tecnologias de informação.
    • Saber conceber, desenvolver e explorar sistemas, serviços e aplicações informáticas tanto centralizadas como distribuidas integrando hardware, software e redes.
  2. Em Administração de sistemas e redes: 
    • Saber desenhar, montar, dimensionar e gerir uma rede de TICs.
    • Conhecer os principais conceitos teóricos subjacentes às principais tecnologias de acesso e core, sabendo exemplificar e discutir o uso dessas tecnologias em cenários de redes distintos.
    • Saber elaborar e executar projectos e especificações de Cabeamento Estruturado.
    • Seleccionar os serviços de rede mais apropriados para suportar uma dada aplicação.
    • Identificar e discutir as diferenças e conceito sujacentes aos protocolos Ipv4 e Ipv6 e compreender os princípios e funcionalidades inerentes à mobilidade, concretizando para IPv4 e Ipv6.
    • Saber gerir e configurar serviços de internet.
  3. Em Bases de Dados:
    • Saber desenhar e implementar bases de dados.
    • Especificar e dimensionar equipamentos para suportar Base de Dados.
    • Avaliar Sistemas de Gestão de Base de Dados disponíveis com o objectivo de escolher o mais adequado.
    • Saber gerir, administrar e fazer a manutenção de Sistemas de Base de Dados.
      Transversais:
    • Saber comunicar-se na escrita e oralmente tanto na lingua Portuguesa como Inglesa.
    • Conhecer a terminologia técnica Inglesa no campo da Informática moderna
    • Entender as responsabilidades e desafios profissionais, éticos, legais, de segurança e sociais do uso das tecnologias de informação e comunicação.
    • Ter espírito de liderança e de inovação, e capacidade de integrar-se numa equipa de trabalho.

Saídas Profissionais

  • Os licenciados neste curso poderão enquadrar-se profissionalmente no sector público ou no sector privado assim como desenvolver a sua actividade profissional de forma liberal. Eis aqui algumas possibilidades:
  • Administrador de sistemas e redes.
  • Analista de sistemas de informação.
  • Consultor de Informática.
  • Docente.
  • Gestor de Bases de Dados.
  • Gestor de Sistemas Informáticos.
  • Programador no desenvolvimento de aplicativos.
  • Técnico informático.
  • Técnico de Gestão de Redes.
  • Técnico de Hardware.
  • Técnico de Manutenção de Sistemas.

Plano Curricular

Para completar o curso de Licenciatura em Tecnologias da Informação, cada estudante deverá aprovar a todas as disciplinas ou módulos do plano curricular, que perfazem um total de 240 créditos académicos.