Faculdade de Ciências Sociais e Políticas

Missão

Faculdade de Ciências Sociais e políticas enquanto unidade básica da Universidade Católica de Moçambique, esta engajada na produção conhecimento científico, político, através da formação e pesquiza, visando contribuir para a valorização da cidadania, consolidação da democracia e melhoria da gestão pública segundo os princípios Católicos.

Visão

A Faculdade de Ciências Sociais e Politicas enquanto Unidade Básica da Universidade Católica de Moçambique almeja ser reconhecido no país e no mundo, como uma instituição de ensino superior de referência, na formação de profissionais com conhecimento cientifico-politico capaz de orientar a sociedade a encontrar sempre soluções que promovam o bem-estar, socio e económico do país.

Licenciaturas

Licenciatura em Administração e Gestão de Empresas

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Administração e Gestão de Empresas

Duração

4 Anos


O curso de Licenciatura em Administração e Gestão de Empresas funciona em regime presencial desde 2010 e tem um perfil dotado de novos contextos nacionais e internacionais. Tem uma capacidade excelente de inserção no mercado laboral. Este curso tem a duração de 3 anos, divididos em 6 semestres.

O plano de estudo apresentado está estruturado de forma a cumprir plenamente os objectivos estabelecidos no quadro do processo de Bolonha, nomeadamente no que diz respeito à aquisição de conhecimentos, competências e saberes, que permitem também prosseguir os estudos para o grau de mestrado.

Este curso visa a preparação de profissionais qualificados, capazes de dar resposta às necessidades de organizações em domínios diversos: administrativo, contabilístico, financeiro e comercial.

Perfil

O profissional em Administração e Gestão de Empresas recebe, na sua formação, conhecimentos para seleccionar os mais complexos problemas organizacionais, podendo actuar na gestão de recursos humanos e não humanos.

Competêncais

  • Análises de informação quantitativa e financeira sobre o desempenho de mercado, produto, custo e de mais dados, visando apoiar o processo de estudo mercadológico e económico
  • Auto-gestão efectiva em termos de tempo, planeamento e comportamento, dinâmica pessoal, iniciativa individual e empreendimento
  • Autonomia de pensamento alicerçada em elementos científicos
  • Capacidade de análise crítica fundamentada
  • Capacidade de tomar decisões e de resolução de problemas numa realidade diversificada em constante mudança
  • Conhecimento de princípios contabilísticos e análises de mapas financeiros
  • Domínio de altos valores da ética empresarial
  • Domínio de habilidades relativas à comunicação e expressão oral e escrita
  • Elaboração e interpretação dos relatórios financeiros de fluxos de caixa
  • Elaborar, analisar e gerir projectos
  • Interpretar planos estratégicos, tácticos e operacionais, que contribuem para estabelecimento de níveis de capitais próprios para o nível de manutenção
  • Permanente curiosidade intelectual que o leve a pensar na formação, não como um processo que se esgota com a simples aquisição de um grau académico, mas que se prolonga no tempo, fruto dos processos dinâmicos e concorrenciais que sujeitam e definem as sociedades modernas
  • Técnico de fiscalidade empresarial
  • Utilizar formulações matemáticas e estatísticas na análise de fenómenos económicos e empresariais

Saídas Profissionais

As competências científicas, técnicas e pessoais, fornecidas durante o curso, habilitam os licenciados em Administração e Gestão de Empresas ao desempenho de funções diversas, em domínios como a organização e gestão, planeamento e estratégia, e ensino e formação:

  • Administração Pública ou Privada
  • Auditoria e Consultoria
  • Auto-emprego
  • Controlo de Gestão
  • Direcção e Gestão das áreas Comercial e de Marketing
  • Direcção e Gestão das áreas Contabilísticas e Financeiras
  • Ensino e Investigação
  • Gestor de Projectos
  • Gestor Financeiro

Plano Curricular

Para completar a parte académica do primeiro ciclo de 3 anos em licenciatura, cada estudante terá de aprovar às 36 disciplinas, somando um total de 180 créditos.

Licenciatura em Administração e Gestão Hospitalar

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Administrador Hospitalar

Duração:

4 Anos


 A organização e administração dos serviços de saúde, nomeadamente os serviços hospitalares, ocupa hoje um lugar de relevo nas ciências da saúde. A crescente complexidade das ciências médicas e o crescente grau de exigência dos cidadãos e dos seus representantes, faz com que se torne uma realidade incontornável a necessidade imperiosa de se dispor de serviços de saúde eficazes e eficientes, onde os diferentes actores possam exercer melhor possível a sua actividade e maximizar a satisfação dos seus utentes. É consensual que os hospitais e os centros de saúde desempenham um papel activo nos diversos programas de saúde e de protecção social, e que o seu funcionamento racional e efectivo tenha repercussões várias sobre o desenvolvimento económico das sociedades.

Consciente desta realidade, a Universidade Católica de Moçambique (UCM) oferece à sociedade uma licenciatura em Administração e Gestão Hospitalar, com a duração de quatro anos dividido em oito semestres, onde se abordam conceitos de gestão básicos a qualquer licenciatura nesta área, mas que serão especialmente direccionados para um sector que, pela sua importância económica e social, pelo número de recursos que mobiliza, pelos vários desafios na melhoria da qualidade dos serviços e, essencialmente, pelas suas especificidade, justifica.

Dois semestres desta licenciatura serão, por outro lado, integralmente ministrados num serviço de saúde, de modo a aproximar a escola da instituição e a complementar a indispensável vertente teórica com a aplicação prática dos conceitos no terreno, a partir de um estágio prático de gestão hospitalar.

Perfil

O Licenciado em Administração e Gestão Hospitalar é um profissional capaz de exercer as suas funções nas unidades sanitárias dos níveis II, III e IV, isto é, nos Hospitais Gerais e Rurais, Provinciais, Especializados e Centrais. Os graduados deste curso têm uma visão geral do funcionamento das organizações públicas ou privadas, com conhecimento e domínio do funcionamento das instituições do Aparelho do Estado, facto que lhes permite exercer funções de direcção e chefia nos níveis Central e Provincial.

Estes profissionais são responsáveis pela promoção das boas práticas ao nível das suas unidades sanitárias, através do desenvolvimento das actividades formativas de quadros básicos e médios, com incidência em administração Hospitalar.

Competências

O Licenciado em administração e Gestão hospitalar terá no fim do seu curso, as seguintes Competências:

  • Na Gestão de Recursos Humanos
    • Ter espírito de Liderança e de inovação, e capacidade de integrar-se numa equipa de trabalho;
    • Promover o espírito de cooperação entre o superior hierárquico e seus subordinados;
    • Garantir o cumprimento das disposições legais plasmadas no Estatuto Geral dos Funcionários do Estado;
    • Utilizar técnicas de recrutamento e selecção de pessoal, com base nas normas existentes;
    • Estabelecer regras de planificação e coordenação das actividades inerentes ao bom funcionamento dos recursos humanos;
    • Elaborar projectos de formação contínua, visando elevar a auto estima e motivação do pessoal afecto à instituição;
    • Desenvolver trabalhos de pesquisa, empregando métodos de investigação científica, com vista a melhorar a eficiência e a eficácia das tarefas;
    • Zelar pelo cumprimento das ordens de serviço, regulamentos e estatutos da instituição;
  • Gestão de Recursos Financeiros
    • Planificar, coordenar e monitorar a elaboração dos orçamentos anuais e plurianuais com base nos pressupostos da Lei do SISTAFE;
    • Conhecer as metodologias de elaboração do Orçamento do Estado definidas pelo Ministério do Plano e Finanças (MPF);
    • Monitorar a elaboração de relatórios financeiros periódicos;
    • Supervisionar a execução orçamental dos recursos financeiros da instituição;
    • Manter actualizada a informação sobre fontes de financiamentos;
    • Institucionalizar e gerir sistemas de informação para a gestão eficiente das finanças do hospital;
    • Desenvolver estudos de Avaliação Económica de Saúde;
  • Gestão de Recursos Materiais
    • Planificar, coordenar e supervisionar o sector de aprovisionamento;
    • Propor normas para administração e gestão de materiais;
    • Participar nos estudos específicos à política de compras, levando em conta a situação financeira e as vantagens da manutenção de determinados níveis de armazenamento;
    • Fiscalizar as actividades do pessoal que estiverem sob sua responsabilidade;
    • Elaborar programas de implementação do sistema de classificação e codificação dos produtos armazenados;
    • Acompanhar rigorosamente os processos de licitação e de compras, desde a divulgação do edital até à fase de adjudicação, devendo saber observar as normas do Ministério do Plano e Finanças (MPF);
  • No âmbito do Ensino
    • Participar em programas de formação em administração e gestão hospitalar para cursos de especialização, de nível médio e de nível básico;
    • Participar na elaboração de manuais de formação e seminários no domínio de administração e gestão hospitalar em particular;
    • Promover actividades de formação inicial e contínua das equipas de trabalho nas unidades sanitárias, de acordo com as necessidades identificadas;
  • No âmbito da Investigação
    • Planificar pesquisas de opinião e satisfação dos usuários e assegurar o seu tratamento estatístico;
    • Coordenar actividades de pesquisa em sistemas gerências nos hospitais, com vista a fortalecer a capacidade investigativa dos profissionais de administração hospitalar;
    • Estimular a participação dos técnicos e agentes de administração nas jornadas científicas promovidas pelas instituições vocacionadas para o efeito.

Saídas Profissionais

Conteúdo não disponível - Em manutenção.

Plano curricular

O método aplicado é clássico, com disciplinas semestrais e anuais. Avaliação contínua (trabalhos, testes e exames).

Para completar o curso de Licenciatura em Administração e Gestão Hospitalar,cada estudante deverá aprovar a todas as disciplinas do plano curricular, as quais perfazem um total de 237.84 créditos académicos.

 

Licenciatura em Ciência Política e Relações Internacionais

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Ciência Política e Relações Internacionais

Duração

4 Anos


O Curso de Licenciatura em Ciência Politica e Relações Internacionais que vai funcionar na Universidade Católica de Moçambique, é um curso superior formatado em consonância com as directrizes da Declaração de Bolonha, isto é, concebido para um primeiro ciclo de 3 anos lectivos e visa contribuir para o desenvolvimento sócio-politico, da abertura para a promoção de valores da justiça, paz e reconciliação dentro da tradição do espírito de liberdade.

O plano de estudo encerra um conjunto de disciplinas sobre a teoria e prática política e de relações internacionais, completando com outras em humanidades que oferecem o essencial suporte para a compreensão da tradição da liberdade. As cadeiras oferecidas em seminários impactarão sobretudo na relação entre a faculdade e o meio politico nacional, regional e internacional para que seja um contributo necessário para a cientificidade da prática política e das relações internacionais.

A formação combinada com qualidade parece ser ajustada aos interesses actuais da nova realidade nacional e internacional, que requer especialmente funções de elaboração de políticas públicas, assessoria e execução de políticas adequadas em instituições do estado, de organizações não governamentais e da sociedade civil tanto ao nível central como local.

Esta Licenciatura tem início em 2012 nas cidades de Quelimane e Beira.

Perfil

O graduado em Ciência Politica e Relações Internacionais, é lhe conferido uma formação académica fundamental na área científica da Ciência Política e das Relações Internacionais, com a possibilidade de os seus licenciados adquirirem competências distintas na sequência da frequência de disciplinas nucleares com enfoque em domínios mais específicos. Para além de permitir uma participação mais esclarecida na comunidade política, a formação obtida no âmbito deste curso superior habilitará os licenciados a exercerem funções no quadro de instituições e organizações políticas, meios de comunicação social, universidades, centros de estudo e prospectiva, entre outros.

Competêncais

Ao terminar o seu primeiro ciclo de estudos em Ciência Política e Relações Internacionais pela Universidade Católica de Moçambique o graduado deverá estar habilitado das seguintes competências:

  • Disseminar e ancorar, nos meios académicos e profissionais envolvidos, a matriz científica dos estudos sobre a Ciência Politica e Relações Internacionais;
  • Qualificação e modernização da actividade política;
  • Eficiência na gestão da coisa pública;
  • Interpretar o Estado Moderno do ponto de vista orgânico e funcional e as dinâmicas do poder político, assim como os seus principais intervenientes;
  • Identificar e explicar o papel e o estatuto dos actores políticos na vida política nacional;
  • Avaliar as estratégias dos actores políticos, no sentido de utilizar os médias para influenciar a agenda política e o enquadramento dos acontecimentos políticos;
  • Identificar e interpretar o funcionamento do sistema internacional: actores, dinâmicas e problemáticas;
  • Exercer funções de análise, implementação e avaliação de políticas e programas públicos;
  • Desempenhar a avaliação formal, programática e de impactos sociais das intervenções públicas;
  • Perceber a influência do fenómeno da globalização na política nacional, regional e internacional;
  • Possuir o domínio sobre as ideias, as teorias e o debate sobre o decurso e os despiques sobre a afirmação da democracia no mundo, em África, em exclusivo, Moçambique;
  • Aplicar e relacionar os conceitos-chave dos conteúdos programáticos relacionados com a tradição da liberdade na acção política e na conjuntura internacional.

Saídas Profissionais

O licenciado em Ciência Politica e Relações Internacionais tem uma enorme possibilidade de saídas profissionais em diversas áreas e instituições tais como:

  • Analistas Sociais, Políticos e de Opinião Publica
  • Responsáveis e funcionários da Administração Pública Local, Nacional e Regional
  • Jornalistas Políticos, Assessores Políticos (Governo, Embaixadas e ONG's)
  • Líderes partidários, membros de Assembleias Municipais, Provinciais e Nacionais
  • Programas de Governação – colaboradores de programas nacionais e internacionais de apoio à boa governação
  • Formação complementar à carreira diplomata.

Plano Curricular

Para a conclusão da parte académica do 1º ciclo de 3 anos (Licenciatura), cada estudante terá de aprovar a todas 36 disciplinas, somando um total de 180 créditos, sendo para cada semestre 30 créditos.

Licenciatura em Contabilidade e Auditoria

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Contabilidade e Auditoria

Duração

4 Anos


O curso de Licenciatura em Contabilidade e Auditoria foi introduzido em 2010 pela Universidade Católica de Moçambique - Faculdade de Economia e Gestão (FEG), na Beira. É leccionado em regime presencial e tem a duração de três anos. Este curso revela-se um instrumento metodológico indispensável à garantia da conformidade de interpretação dos registos financeiros, bem como à fiabilidade dos respectivos conteúdos, desempenhando uma função imprescindível na facilitação da globalização dos negócios.

Actualmente, o Mercado identifica a necessidade de acolher profissionais com estas competências, que permitam responder às vicissitudes e características apresentadas pelas exigências crescentes do mundo dos negócios. O sector público também necessita de profissionais com este perfil, habilitados para aplicar os princípios contabilísticos patentes no Plano Geral de Contabilidade (PGC) e respectivos planos sectoriais.

Atendendo à procura do mercado, o curso de Licenciatura em Contabilidade e Auditoria responde ao desafio da formação moderna que requer quadros competentes, capazes de lidar com o actual ambiente de negócios. A Licenciatura também prepara os estudantes para dois importantes tipos de Auditoria: Interna e Financeira, fornecendo as competências necessárias para que os futuros licenciados possam ser reconhecidos pelo organismo Internacional - Institute of Internal Auditing.

Perfil

O graduado em Contabilidade e Auditoria tem um conhecimento global do funcionamento de uma organização e dos seus ambientes. Possui conhecimentos práticos e teóricos, universalmente aceites, e está habilitado a desenvolver as suas actividades em instituições que operam nos mercados monetário e financeiro, bancos, seguradoras, organizações empresariais privadas e públicas, empresas de Auditoria e Consultoria, ONG’s, entre outras.

O graduado tem facilidade em trabalhar em equipa, conceber soluções para problemas concretos, desempenhar tarefas que exigem uma dedicação elevada e, muitas vezes, com grande autonomia.

Competências

O licenciado em Contabilidade e Auditoria deve adquirir, ao longo do curso, as seguintes competências básicas de formação profissional:

  • Capacidade para aprender e desenvolver a teoria e a prática contabilística, bem como o meio envolvente em que se desenvolveu e vai aplicar;
  • Capacidade para processar e compilar a informação contabilística e iniciar a sua interpretação/ análise;
  • Saber utilizar o Software informático apropriado para processamento da informação contabilística;
  • Capacidade para proceder à análise e relevação contabilística das diferentes operações empresariais;
  • Diferenciar entre os fins da contabilidade e da fiscalidade e seus efeitos;
  • Encerrar as contas e apurar os resultados do exercício;
  • Elaborar o balanço, a demonstração de resultados líquidos, a demonstração dos fluxos de caixa e o anexo;
  • Preparar e elaborar demonstrações financeiras consolidadas;
  • Capacidade para preparar relatórios e contas intercalares, anuais e por segmentos;
  • Aprender a noção e importância dos investimentos financeiros;
  • Dominar o tratamento contabilístico legal/fiscal das operações especiais e das imobilizações;
  • Aplicar as normas internacionais de contabilidade no registo das transacções e na apresentação das demonstrações financeiras;
  • Conhecer os conceitos e aspectos fundamentais inerentes à profissão e ao processo de auditoria, incluindo as funções dos auditores, os princípios e normas por que se regem e respectiva responsabilidade;
  • Abordar os princípios éticos e deontológicos.

Saídas Profissionais

A Licenciatura em Contabilidade em Auditoria tem por objectivo formar profissionais com competências nas áreas de Contabilidade, Fiscalidade e Auditoria.

Estes profissionais estão preparados para assumir as seguintes funções:

  • Responsáveis de contabilidade em empresas,
  • Responsáveis pela gestão fiscal nas empresas,
  • Auditores,
  • Gestores financeiros,
  • Consultores na área de Contabilidade e Fiscalidade em empresas privadas, empresas e serviços do Estado, bem como em empresas do ramo de consultoria contabilística e fiscal e firmas de auditoria. Para além disso, este curso satisfaz os requisitos académicos para inscrição como Técnico Oficial de Contas.

Plano Curricular

Para completar a parte académica do 1.º ciclo de 3 anos (Licenciatura), cada estudante terá de aprovar às 36 disciplinas, somando um total de 180 créditos, distribuídos da seguinte forma:

  • 15 Disciplinas nucleares (abarcando as matérias consideradas essenciais ao nível da área de Contabilidade e Auditoria) num total de 80 créditos;
  • 16 Disciplinas de formação complementar com um total de 72 créditos;
  • 5 Disciplinas da área de especialização num total de 28 créditos.

Licenciatura em Gestão do Desenvolvimento

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Gestão do Desenvolvimento

Duração:

4 Anos


O curso de Licenciatura em Gestão do Desenvolvimento rege-se pela Lei nº 27/2009 de 29 de Setembro, sobre o ensino Superior, publicada no boletim da República I Série, Número 38; pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique e pelo Regulamento em vigor na Faculdade de Educação e Comunicação.

O curso foi desenhado tendo em conta os desenvolvimentos curriculares mais recentes da comunidade científica internacional e de modo a fornecer ao estudante instrumentos para a produção crítica do saber e as ferramentas técnicas, tanto teóricas como práticas, que lhe permitam a integração no mercado de trabalho, no final do 1º ciclo de formação universitária.

O curso distingue-se pelo seu carácter universitário e está concebido a partir do conceito de que a planificação do desenvolvimento é um processo contínuo, capaz de promover o desenvolvimento económico e social a nível regional e local, melhorar o nível de vida das comunidades e acelerar o processo de descentralização, a governação dos actores locais.

Perfil

O perfil profissional do licenciado em Gestão do Desenvolvimento é de um gestor de desenvolvimento com conhecimentos abrangentes para enfrentar o mundo moderno globalizado, capaz de responder aos problemas da comunidade de forma dinâmica e criativa, identificando a influência de factores exógenos no desenvolvimento local, e de um técnico com conhecimentos especializados, teóricos e práticos, de Gestão do Desenvolvimento.

Competências

O licenciado em Gestão do Desenvolvimento deve reunir, no final do curso, as seguintes competências:

  • Conhecer a história e as teorias do desenvolvimento;
  • Conhecer as organizações internacionais ligadas ao desenvolvimento, bem como os acordos internacionais relativos a questões ligadas ao desenvolvimento rural;
  • Conhecer as políticas públicas de desenvolvimento a nível local;
  • Conhecer as teorias psicológicas e sociológicas da comunicação;
  • Conhecer aspectos ligados ao empreendedorismo como vector para o desenvolvimento;
  • Conhecer os fundamentos sociológicos do desenvolvimento;
  • Falar e escrever a língua inglesa.;
  • Interpretar, falar e escrever correctamente português;
  • Perceber o fluxo da planificação do desenvolvimento a nível local, regional e nacional;
  • Saber elaborar, coordenar e monitorizar projectos de desenvolvimento;
  • Saber utilizar as técnicas de comunicação e informação como vector para o desenvolvimento das comunidades;
  • Ser capaz de promover a gestão sustentável de recursos naturais nas comunidades;
  • Ser íntegro e ético no exercício das suas funções profissionais;
  • Ser um profissional capaz de contribuir para a mudança e o desenvolvimento económico e social;
  • Ter noções básicas de economia.

Saídas Profissionais

O curso de Licenciatura em Gestão do Desenvolvimento habilita o estudante a trabalhar em:

  • Centros de estudos de desenvolvimento regional e local;
  • Instituições de pesquisa para promoção do desenvolvimento das comunidades;
  • Instituições governamentais viradas para o desenvolvimento da comunidade;
  • Município e governos distritais;
  • ONG’s viradas para o desenvolvimento das comunidades;
  • Organizações económicas de desenvolvimento (OECD) e Agências de desenvolvimento local (ADEL);
  • Organizações internacionais e de cooperação;
  • Projectos de intervenção comunitária.

Plano Curricular

Para completar a parte académica do 1º Ciclo de três anos (Licenciatura), cada estudante terá de aprovar às 36 disciplinas, somando um total de 180 créditos académicos.

Licenciatura em Desenvolvimento Comunitário

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Desenvolvimento Comunitário

Duração

4 Anos


O curso de Licenciatura em Desenvolvimento Comunitário rege-se pela Lei nº 27/2009 de 29 de Setembro, sobre o Ensino Superior, publicada no Boletim da República I Série, Número 38; pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique e pelo Regulamento em vigor na Faculdade de Educação e Comunicação.

O curso visa formar técnicos superiores em Desenvolvimento Comunitário, tendo em conta a escassez de recursos humanos qualificados nesta área, em Moçambique.

Com o objectivo de se adequar às exigências do mercado, o curso de Desenvolvimento Comunitário responde ao desafio da formação moderna, que requer quadros competentes e capazes de intervir de forma eficiente no desenvolvimento da comunidade e do país em geral. O graduado em Desenvolvimento Comunitário, pela sua formação, estará preparado para intervir junto das comunidades locais, contribuindo para o seu desenvolvimento. Daí que o agente de desenvolvimento comunitário tenha em conta os problemas concretos que a comunidade experimenta, e promova a participação activa de todos os membros da mesma comunidade.

A adequação do curso procurou ter em conta a actualização dos currículos mais recentes das universidades, a nível nacional e internacional.

Perfil

O graduado em Desenvolvimento Comunitário é um agente de intervenção comunitária capaz de interagir e dar respostas de uma maneira sustentável aos problemas que as populações (em particular as mais desfavorecidas) apresentam, através do desenvolvimento de acções práticas, visando a melhoria das condições de vida da comunidade. O licenciado em Desenvolvimento Comunitário é um oficial de projectos de desenvolvimento comunitário, e um gestor de programas comunitários, capaz de conceber, implementar, avaliar e monitorar projectos.

Competências

O licenciado em Desenvolvimento Comunitário deve adquirir, ao longo do curso, as seguintes competências básicas de formação profissional:

  • Capacidade de conceber e gerir projectos de desenvolvimento comunitário em várias instituições ligadas ao desenvolvimento;
  • Capacidade de envolver todos os membros no desenvolvimento da sua comunidade;
  • Capacidade de implementar, monitorar e avaliar projectos de desenvolvimento comunitário;
  • Capacidade de trabalhar em equipa;
  • Conhecer a diversidade cultural dos povos para melhor intervir;
  • Conhecer as metodologias e técnicas de intervenção comunitária;
  • Conhecer as técnicas de animação socio-cultural;
  • Conhecer as técnicas de intervenção comunitária;
  • Conhecer os diversos conteúdos relacionados com o desenvolvimento, educação, saúde e cultura;
  • Saber elaborar planos de negócios;
  • Saber empoderar a comunidade para gerir os recursos naturais de forma sustentável;
  • Saber gerir conflitos numa intervenção comunitária;
  • Saber identificar factores de pobreza dentro da comunidade;
  • Saber ler, interpretar, falar e escrever correctamente português;
  • Ser íntegro e ético.

Saídas Profissionais

O licenciado em Desenvolvimento Comunitário tem um vasto leque de saídas profissionais, podendo trabalhar nas seguintes áreas:

  • Instituições ligadas ao serviço social;
  • ONG’s viradas para o desenvolvimento comunitário;
  • Organizações governamentais viradas para o desenvolvimento;
  • Projectos de intervenção comunitária.

Plano Curricular

Para completar a parte académica do 1º Ciclo de três anos (Licenciatura), cada estudante terá de aprovar às 36 disciplinas, somando um total de 180 créditos académicos.

Licenciatura em Direito

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Direito

Duração:

4 Anos


Perfil

O licenciado em Direito é um jurista que pode aplicar o seu saber e os seus conhecimentos no aconselhamento a toda e qualquer situação da vida social e, ao contrário do que se possa pensar, a sua actividade não é apenas litigiosa, sendo mais eficaz e mais plena quando a sua actuação se desenvolve naquilo a que hoje chamamos de “advocacia preventiva”.

Como profissional, o licenciado em Direito mostra uma polivalência e interdisciplinaridade muito fortes, no actual contexto da globalização e da “febre legislativa” a que assistimos.

Quase nada queda exterior ao mundo do Direito, e é esse mundo de possibilidades que pretendemos oferecer aos nossos estudantes, com qualidade e inovação.

No âmbito da missão da Universidade, pretendemos desenvolver, nos nossos estudantes, uma consciência crítica positiva e capaz de solucionar com sucesso os conflitos que possam surgir, trazendo soluções justas e preconizadas na ratio e no espírito do legislador.

Competências

O licenciado em Direito deve reunir no final da sua formação, além da capacidade de interpretação e aplicação de qualquer solução legislativa, as seguintes competências:

  • Aconselhar a qualquer cidadão ou entidade no cumprimento dos ditames legais, criando situações hipotéticas que elucidem o ouvinte, quanto às consequências jurídico-legais do incumprimento do estipulado na lei;
  • Defender e promover os direitos humanos e os direitos fundamentais preconizados pelo legislador constituinte;
  • Descrever correctamente os processos de aplicação das normas, tendo em conta a sua estrutura de previsão e estatuição;
  • Descrever e analisar os fins das penas e das medidas de segurança, tendo em conta a proporcionalidade e a ressocialização dos infractores;
  • Desenvolver uma forte capacidade de argumentação;
  • Enquadrar o sistema jurídico moçambicano dentro da família romano-germânica, sem obliterar o seu enquadramento regional;
  • Fazer o enquadramento jurídico-legal de qualquer situação fáctica ao mundo do Direito;
  • Incutir e promover os valores da Justiça, ética e bem-estar social;
  • Promover o respeito pela legalidade e pelas instituições;
  • Solucionar os litígios que se lhe apresentam, tendo em conta os interesses protegidos e acolhidos pelo legislador.

Saídas Profissioanais

As oportunidades que se apresentam ao licenciado em Direito constituem um leque vasto em que podemos citar, de entre outros:

  • Advogados;
  • Chefes de departamento jurídicos de empresas privadas;
  • Conservadores de Registo;
  • Consultor jurídico de empresas ou instituições do Estado;
  • Consultores jurídicos;
  • Diplomatas (Relações Internacionais);
  • Magistratura do Ministério Público (Procuradores da República);
  • Magistratura Judicial (Juízes);
  • Municípios, Governos e Assembleias Provinciais;
  • Notários;
  • ONG´s que trabalham no âmbito dos Direitos Humanos;
  • Organizações internacionais, incluindo as regionais;
  • Recursos Humanos.

Plano Curricular

Um percurso trienal de orientação jurídico-especializado, centrada em duas áreas que caracterizam o ordenamento didáctico da Faculdade, privilegiando o estudo dos diversos sistemas e institutos jurídicos numa perspectiva histórica, comparada e internacional. A divisão do plano de estudos em dois ciclos permite a obtenção de:

  • Licenciatura em Direito de Estado e Democracia (trienal)
  • Licenciatura em Direito Económico e Social (trienal)

Licenciatura em Economia e Gestão

Grau académico:

Licencuatura

Título Profissional:

Licenciado em Economia e Gestão

Duração

4 Anos


O curso de Licenciatura de Economia e Gestão está organizado de acordo com a Reforma de Bolonha, pelo sistema de unidades de crédito e disciplinas semestrais, e tem a duração de 3 anos. O plano de estudo inclui um conjunto de disciplinas de grande qualidade de Teoria Económica e de Economia Aplicada, entre outras, como Contabilidade e Gestão. As cadeiras e o estágio que oferecemos, assim como a relação entre a faculdade e o meio, permitem, por um lado, uma adaptação adequada ao mercado de trabalho, e por outro, uma constante atenção aos contributos recentes da aplicação da Teoria Económica.

A Licenciatura tem-se revelado apropriada ao mercado de trabalho que requer principalmente funções técnicas e executivas em instituições financeiras e em pequenas e médias empresas de diversos sectores de actividades. De facto, os empregadores têm, ao longo dos anos, recrutado de forma muito favorável os licenciados em Economia e Gestão pela Faculdade de Economia e Gestão (FEG).

Perfil

O graduado em Economia e Gestão está capacitado para enfrentar os desafios que surgem como resultado da transformação da sociedade actual, com mais destaque para os aspectos ligados ao mercado de emprego dinâmico.

O graduado deve ser capaz de fazer análises macro-económicas, aplicar os modelos económicos, actualizar conhecimentos teóricos e analisar as novas interpretações da teoria económica, ajustado aos fundamentos éticos.

Competências

O graduado em Economia e Gestão deve desenvolver as seguintes actividades:

  • Elaboração e coordenação de projectos e programas socio-económicos ao nível do território, ramo ou sector;
  • Elaboração e controlo de aplicação de princípios e procedimentos na gestão económica nacional, do ramo ou sector;
  • Participação e contribuição na definição , aperfeiçoamento e funcionamento do sistema nacional de estatística;
  • Participação na elaboração, desenvolvimento e aperfeiçoamento dos métodos económicos da economia nacional (sistema de preços, política salarial, política fiscal e monetária, política creditaria, política de investimentos);
  • Participação na planificação e organização das relações internacionais, ao nível económico e de cooperação, das relações monetárias e financeiras e do comércio externo;
  • Concepção, execução e avaliação da política de investimento no âmbito sectorial e nacional;
  • Formulação, implementação e controlo de programas e projectos no âmbito industrial e de investimento ao nível interno e externo;
  • Análise de gestão cambial, de créditos e seguros, bem como de outros produtos financeiros;
  • Investigação de problemas socio-económicos dos ramos da economia nacional e/ou regional.

Saídas Profissionais

O licenciado em Economia e Gestão tem um enorme leque de saídas profissionais em diversas áreas, algumas das quais são:

  • Economista
  • Auditor Financeiro
  • Assessor económico, financeiro e bancário
  • Gestor Administrativo-Financeiro
  • Gestor Comercial de Vendas;
  • Contabilista

Plano Curricular

Para completar a parte académica do 1º ciclo de 3 anos (Licenciatura), cada estudante terá de aprovar às 39 disciplinas, somando um total de 180 créditos.

Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado

Faculdade:

Faculdade de Educação e Comunicação

Duração

4 Anos


 O curso de Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos, introduzido pela Universidade Católica de Moçambique, Faculdade de Economia e Gestão (UCM-FEG), tem regime presencial e a duração de três anos. Surge como um instrumento metodológico de formação de técnicos superiores em gestão de recursos humanos, para dar resposta à rápida evolução da função de recursos humanos no contexto actual da função pública e económica, e às exigências que se verificam na gestão do capital humano nas organizações.

O curso configura-se de maneira a que os alunos atinjam níveis de excelência no conhecimento e domínio da utilização dos instrumentos profissionais estudados, no quadro do processo de Bolonha, no que concerne a aquisição de conhecimentos, competências e saberes estabelecidos pelo respectivo nível académico. Pode, posteriormente, tirar o mestrado.

O curso de Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos requer, sobretudo, potenciar a formação de técnicos qualificados, cuja prática se guie pelo rigor do pensamento, pela abertura de espírito, pela ética e por critérios de elevada qualidade na acção profissional.

Perfil

O perfil profissional do licenciado em Gestão de Recursos Humanos é o de um gestor de pessoas no seio das organizações, capaz de planear e gerir os recursos humanos, nomeadamente no recrutamento e selecção, treino e desenvolvimento, avaliação de desempenho, rotinas de pessoal, gestão de carreiras, entre outros.

É também um consultor ou analista na área de recursos humanos, bem como um profissional que promove o desenvolvimento de competências relacionadas com o comportamento individual e organizacional, catalizando os processos de elaboração de planeamento estratégico, programas de qualidade de vida no trabalho e avaliação do clima organizacional.

Competêncais

O perfil profissional do licenciado em Gestão de Recursos Humanos é o de um gestor de pessoas no seio das organizações, capaz de planear e gerir os recursos humanos, nomeadamente no recrutamento e selecção, treino e desenvolvimento, avaliação de desempenho, rotinas de pessoal, gestão de carreiras, entre outros.

É também um consultor ou analista na área de recursos humanos, bem como um profissional que promove o desenvolvimento de competências relacionadas com o comportamento individual e organizacional, catalizando os processos de elaboração de planeamento estratégico, programas de qualidade de vida no trabalho e avaliação do clima organizacional.

Saídas Profissionais

O licenciado em Gestão de Recursos Humanos tem um vasto leque de saídas profissionais, podendo trabalhar nas seguintes áreas:

  • Consultor de formação profissional;
  • Consultoria em recursos humanos e formação profissional;
  • Organizações governamentais e não governamentais, a nível do departamento de recursos humanos;
  • Empresas de recrutamento e selecção;
  • Administrador de cargos e salários, planeamento de recursos humanos e administração de pessoal.

Plano Curricular

O Plano Curricular da Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos apresenta a seguinte estrutura:

Para completar a parte académica do 1º Ciclo de três anos (Licenciatura), cada estudante terá de aprovar às 36 disciplinas, somando um total de 180 créditos académicos.

Licenciatura em Tecnologias da Informação

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado  em Tecnologias da Informação

Duração:

4 Anos


O curso de licenciatura em Tecnologias da Informação rege-se pela Lei n.27/2009 de 29 de Setembro, sobre o ensino superior, publicada no Boletim da República I Série, Número 38, pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique e pelo Regulamento em vigor na Faculdade de Gestão de Turismo e Informática. O curso visa formar profissionais qualificados para actuar nos vários domínios do uso das tecnologias da informação, desde o hardware, as redes, as bases de dados ou a engenharia de software e programação.

As tecnologias da informação são uma ferramenta imprescindível para qualquer actividade no mundo moderno. Este curso pretende responder à demanda de profissionais que saibam dar respostas adaptadas às várias necessidades que em Moçambique existem e virão a existir nos próximos anos.

O curso responde às exigências de um currículo moderno, que fornece competências técnicas precisas para o uso das tecnologias da informação, com uma componente prática importante, os workshops incluídos na maior parte das disciplinas.

Perfil

O licenciado em Tecnologias da Informação na UCM é um profissional capaz de gerir tecnologias em três áreas principais: programação, administração de sistemas e de redes, e bases de dados. Os graduados deste programa são profissionais com capacidade de promover o uso de tecnologias de informação, preparados para responder e adaptar-se às necessidades tecnológicas de hoje e do futuro, do mundo no geral e de Moçambique em particular. A partir deste perfil geral, os estudantes poderão especializar-se em uma área específica a nível de mestrado.

Competências

O graduado em Tecnologias da Informação terá as seguintes competências:

  1. Em Programação:
    • Compreender os fundamentos básicos de programação, estruturas de dados e algoritmos.
    • Conhecer os fundamentos básicos sobre linguagens de programação imperativa e programação orientadas à objectos.
    • Conhecer os fundamentos matemáticos que sustentam as tecnologias informáticas.
    • Saber identificar, analisar, desenhar e implementar soluções para problemas relacionados com Tecnologias de Informação e comunicação.
    • Saber gerir projectos e serviços na área de tecnologias de informação.
    • Saber conceber, desenvolver e explorar sistemas, serviços e aplicações informáticas tanto centralizadas como distribuidas integrando hardware, software e redes.
  2. Em Administração de sistemas e redes: 
    • Saber desenhar, montar, dimensionar e gerir uma rede de TICs.
    • Conhecer os principais conceitos teóricos subjacentes às principais tecnologias de acesso e core, sabendo exemplificar e discutir o uso dessas tecnologias em cenários de redes distintos.
    • Saber elaborar e executar projectos e especificações de Cabeamento Estruturado.
    • Seleccionar os serviços de rede mais apropriados para suportar uma dada aplicação.
    • Identificar e discutir as diferenças e conceito sujacentes aos protocolos Ipv4 e Ipv6 e compreender os princípios e funcionalidades inerentes à mobilidade, concretizando para IPv4 e Ipv6.
    • Saber gerir e configurar serviços de internet.
  3. Em Bases de Dados:
    • Saber desenhar e implementar bases de dados.
    • Especificar e dimensionar equipamentos para suportar Base de Dados.
    • Avaliar Sistemas de Gestão de Base de Dados disponíveis com o objectivo de escolher o mais adequado.
    • Saber gerir, administrar e fazer a manutenção de Sistemas de Base de Dados.
      Transversais:
    • Saber comunicar-se na escrita e oralmente tanto na lingua Portuguesa como Inglesa.
    • Conhecer a terminologia técnica Inglesa no campo da Informática moderna
    • Entender as responsabilidades e desafios profissionais, éticos, legais, de segurança e sociais do uso das tecnologias de informação e comunicação.
    • Ter espírito de liderança e de inovação, e capacidade de integrar-se numa equipa de trabalho.

Saídas Profissionais

  • Os licenciados neste curso poderão enquadrar-se profissionalmente no sector público ou no sector privado assim como desenvolver a sua actividade profissional de forma liberal. Eis aqui algumas possibilidades:
  • Administrador de sistemas e redes.
  • Analista de sistemas de informação.
  • Consultor de Informática.
  • Docente.
  • Gestor de Bases de Dados.
  • Gestor de Sistemas Informáticos.
  • Programador no desenvolvimento de aplicativos.
  • Técnico informático.
  • Técnico de Gestão de Redes.
  • Técnico de Hardware.
  • Técnico de Manutenção de Sistemas.

Plano Curricular

Para completar o curso de Licenciatura em Tecnologias da Informação, cada estudante deverá aprovar a todas as disciplinas ou módulos do plano curricular, que perfazem um total de 180 créditos académicos.

 

Mestrados

Mestrado em Administração Pública

Grau académico:

Mestrado

Título Profissional:

Mestre em Administração Pública

Duração:

1 Ano e Meio


Perfil

Conteúdo não disponível - Em manutenção.

Competências

Conteúdo não disponível - Em manutenção.

Saídas Profissionais

Conteúdo não disponível - Em manutenção.

Plano Curricular

Conteúdo não disponível - Em manutenção.

Mestrado em Ciência Política: Governação e Relações Internacionais

Grau académico:

Mestrado

Título Profissional:

Mestre em Ciência Política (Governação e Relações Internacionais)

Duração:

1 ano e meio


A Universidade Católica de Moçambique (UCM), atenta à necessidade do desenvolvimento socio-político, de abertura para a promoção de valores da justiça, paz e reconciliação, pretende ministrar o curso de Pós-Graduação e Mestrado em Ciências Políticas: Governação e Relações Internacionais, em parceria com o Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa (IEP-UCP).

O curso de Pós-Graduação em Ciência Política: Governação e Relações Internacionais está concebido a partir do fundamento de que Moçambique é um país em processo de consolidação da democracia, em que o sentido de pertença à família moçambicana começa a ganhar terreno na sociedade, facto que irá permitir o seu processo de integração na SADC.

Perfil

O Pós-Graduado e/ou Mestre é um profissional no desempenho de funções nos diversos níveis de administração pública e governativa (municipal, provincial e nacional), como na contribuição para a área de funções políticas. Os graduados terão conhecimentos de estudos políticos e governação na óptica regional, nacional e internacional.

Competências

O Pós-Graduado e/ou Mestre em Ciências Politicas: Governação e Relações Internacionais deverá, no final do curso, estar dotado das seguintes competências:

  • Contribuir sob diversas formas para a incrementação dos níveis de boa governação;
  • Saber qualificar e modernizar a actividade política;
  • Saber sedimentar a percepção globalizante da democracia, alternância do poder, direitos humanos e estabilidade política;
  • Saber ser eficiente quanto à gestão do bem público;
  • Ser capaz de disseminar e ancorar, ao nível académico e profissional, a matriz científica dos estudos sobre Ciência Política, nomeadamente ao nível da Governação e Relações Internacionais.

Saídas Profissionais

As saídas profissionais do Pós-Graduado e/ou Mestrado em Ciências Politicas: Governação e Relações Internacionais são:

  • Analistas sociais, políticos e de opinião pública
  • Colaboradores de programas nacionais e internacionais de apoio à boa governação
  • Formação complementar à carreira diplomática
  • Jornalistas políticos, assessores (governo, embaixadas e ONGs)
  • Líderes partidários
  • Membros de Assembleias municipais, provinciais e da República
  • Responsáveis e funcionários da administração local, regional e nacional

Plano Curricular

O curso é composto de 9 disciplinas pluridisciplinares. Os alunos que concluam a fase curricular com a classificação média de 12 (78 ECTS) valores poderão obter o certificado de Pós-Graduado em Ciência Política: Governação e Relações Internacionais, serão designados “candidatos a mestre” e poderão passar à fase de dissertação de Mestrado (120 ECTS). Quando concluída a fase de dissertação com sucesso, obterá o certificado de Mestre em Ciência Política: Governação e Relações Internacionais.

Mestrado em Contabilidade e Auditoria

Grau académico:

Mestrado

Título Profissional:

Mestre em Contabilidade e Auditoria

Duração:

1 Ano e Meio


Perfil

Conteúdo não disponível. Queira voltar a visitar-nos em breve!

Competências

Conteúdo não disponível. Queira voltar a visitar-nos em breve!
 
Saídas Profissionais

Conteúdo não disponível. Queira voltar a visitar-nos em breve!

Plano Curricular

Conteúdo não disponível. Queira voltar a visitar-nos em breve!

Mestrado em Economia e Gestão de Empresa (MA)

Grau académico:

Mestrado

Título Profissional:

Mestre em Economia e Gestão de Empresa

Duração:

1 ano e meio


Perfil

Conteúdo não disponível. Queira voltar a visitar-nos em breve

Competências

 Conteúdo não disponível. Queira voltar a visitar-nos em breve

Saídas Profissionais

Conteúdo não disponível. Queira voltar a visitar-nos em breve

Plano Curricular

Conteúdo não disponível. Queira voltar a visitar-nos em breve

Mestrado em Gestão e Administração de Negócios (MBA)

Grau académico:

Mestrado

Título Profissional:

Mestre em Gestão e Administração de Negócios

Duração:

1 Ano e Meio


O curso de Mestrado em Gestão e Administração de Negócios (MBA) tem como objectivo desenvolver e reforçar as competências dos gestores de Moçambique e produzir analistas de negócios e administradores, tanto no sector público, como privado, altamente qualificados.

O programa incentiva o desenvolvimento de competências empresariais e de prática de gestão, abordando os desafios de uma economia regional e global, a partir de uma perspectiva internacional.

O curso incorpora a teoria e a prática das funções da empresa (contabilidade, finanças, gestão e comercialização), bem como temas mais especializados, com foco empresarial e interface das políticas públicas.

Perfil

O Mestre em Gestão e Administração de Negócios da Universidade Católica de Moçambique posiciona-se como um profissional capaz de desempenhar funções nas mais diversas áreas, de uma entidade pública ou privada.

Os amplos conhecimentos de gestão e administração de empresas, adquiridos durante o curso, permitem ao graduado ter uma elevada capacidade de análise, segurança na tomada de decisões em ambientes incertos, flexibilidade para a mudança estratégica e desenvolvimento de competências directivas.

O programa destina-se a preparar os estudantes para assumir um papel preponderante na criação, gestão e direcção de empresas privadas, organizações governamentais e não governamentais.

Competências

Após terminar o MBA, o graduado terá as seguintes competências:

  • Conceber e desenvolver os seus próprios empreendimentos com sucesso;
  • Saber analisar os problemas de marketing e aplicar os conceitos do marketing mix;
  • Saber aplicar as teorias gerenciais nas organizações públicas e privadas;
  • Saber aplicar fundamentos económicos e de gestão no processo de tomada de decisões;
  • Saber clarificar e quantificar os elementos de incerteza que podem existir no processo de tomada de decisões;
  • Saber formular estratégias de marketing e desenvolver programas de marketing;
  • Saber interpretar e analisar os documentos financeiros da organização e usá-los para tomar decisões financeiras sustentáveis;
  • Saber tomar decisões estratégicas a todos os níveis funcionais da organização;
  • Ter conhecimentos dos desafios complexos que envolvem a gestão de pessoas.

Saídas Profissionais

Os mestres em Gestão e Administração de Negócios poderão trabalhar no sector público e/ou privado, assim como usar os conhecimentos adquiridos para se tornar um empreendedor de sucesso.

A pessoa que adquire o grau de mestre em MBA depara-se com as seguintes saídas profissionais:

  • Analista de projectos;
  • Assessor de Administração de qualquer área funcional;
  • Assessor financeiro;
  • Assistente de direcção, administrativo;
  • Consultor de gestão, de marketing e de recursos humanos;
  • Director de marketing, de recursos humanos e financeiro;
  • Director geral;
  • Gestor de logística;
  • Gestor de operações;
  • Planificador.

Plano Curricular

Para completar o curso e obter o grau de mestrado em Gestão e Administração de Negócios o estudante deverá concluir com todas as disciplinas curriculares de modo a obter um total de 90 créditos.

Mestrado em Gestão de Desenvolvimento

Grau académico:

Mestrado

Título Profissional:

Mestre em Gestão de Desenvolvimento

Duração:

1 Ano e Meio


O curso de Mestrado em Gestão do Desenvolvimento rege-se pela Lei nº 27/2009, de 29 de Setembro, sobre o Ensino Superior, publicada no Boletim da República I Série, Número 38; pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique e pelo Regulamento em vigor na Faculdade de Educação e Comunicação.

O curso visa formar profissionais capazes de promover o desenvolvimento económico e social a nível regional e local. Numa perspectiva multidisciplinar virada para a prática, o curso habilita os estudantes a adquirir técnicas e métodos apropriados à concepção de estratégias que solucionem problemas concretos e práticos das comunidades.

O curso permitirá formar quadros nacionais que tenham capacidade para:

  • Analisar a realidade sócio-económica local, tendo em conta a base teórica disponível;
  • Fazer a apreciação crítica das políticas públicas implementadas, propondo medidas para acelerar o processo de descentralização, a governação e a inclusão participativa e o desenvolvimento conduzido pelos actores locais.

Perfil

O mestre em Gestão do Desenvolvimento é um profissional capaz de responder aos problemas da comunidade de forma dinâmica e criativa, identificando a influência de factores exógenos no desenvolvimento local.

Concebendo projectos de intervenção, ele actua nas comunidades locais, contribuindo para a melhoria das condições sociais e económicas das mesmas.

Com base nas potencialidades locais, o mestre é capaz de atrair parceiros e investidores nacionais e internacionais. Como pesquisador, promove e divulga pesquisas, com o fim de melhorar a qualidade de vida das comunidades.

Como profissional, deverá ter autonomia intelectual e capacidade crítica para articular teorias, métodos e práticas sociais na sua actuação, bem como compreender a realidade regional e local das comunidades.

O público-alvo do Mestrado em Gestão do Desenvolvimento, são profissionais licenciados ou equivalentes que trabalham na área de desenvolvimento, nas diversas organizações governamentais e não governamentais.

Competências

O mestre em Gestão do Desenvolvimento deve reunir, no final do curso, as seguintes competências:

  • Aplicar métodos e técnicas na gestão do desenvolvimento regional e local;
  • Aplicar métodos e técnicas participativas relevantes a nível das comunidades;
  • Conhecer as organizações internacionais ligadas ao desenvolvimento e os acordos internacionais relativos a questões ligadas ao desenvolvimento;
  • Conhecer as teorias e modelos do desenvolvimento;
  • Coordenar projectos de desenvolvimento humano nas várias instituições;
  • Desenhar e propor políticas de desenvolvimento que se integrem nos projectos de desenvolvimento regional;
  • Desenhar, implementar, monitorar e avaliar projectos de intervenção nas comunidades;
  • Desenvolver pesquisas para a solução de problemas práticos das comunidades rurais;
  • Interpretar os modelos de gestão pública social a nível das políticas do desenvolvimento: local, regional, nacional e internacional;
  • Promover a gestão sustentável de recursos naturais da comunidade;
  • Propor estratégias de desenvolvimento nos distritos, partindo das potencialidades dos mesmos;
  • Ser capaz de analisar a governação em Moçambique e as suas influências no desenvolvimento regional e local;
  • Ser capaz de intervir nas comunidades de forma íntegra e ética;
  • Ser capaz de trabalhar de forma dinâmica e em equipa;
  • Ser íntegro e ético;
  • Ser um profissional capaz de contribuir para a mudança e o desenvolvimento social;
  • Ter capacidade científica e técnica especializada para colaborar na elaboração de instrumentos de desenvolvimento.

Saídas Profissionais

O curso de Mestrado em Gestão do Desenvolvimento habilita o estudante a trabalhar em:

  • Centros de estudos de desenvolvimento regional e local;
  • Instituições de pesquisa para promoção do desenvolvimento das comunidades;
  • Instituições governamentais viradas para o desenvolvimento da comunidade;
  • Município e governos distritais;
  • ONG’s viradas para o desenvolvimento das comunidades;
  • Organizações económicas de desenvolvimento (OECD) e Agências de desenvolvimento local (ADEL);
  • Organizações internacionais e de cooperação;
  • Projectos de intervenção comunitária.

Plano Curricular

Para completar a parte académica do 2.º Ciclo de 3 semestres (Mestrado), o estudante deve acumular 90 créditos académicos, dos quais 60 créditos se referem às 8 disciplinas curriculares e os restantes 30 créditos à elaboração do trabalho de fim do curso (Seminário: Dissertação).

Mestrado em Gestão de Recursos Humanos

Grau académico:

Mestrado

Título Profissional:

Mestre em Gestão de Recursos Humanos

Duração:

2 Anos


O curso de Mestrado em Gestão de Recursos Humanos rege-se pela Lei nº 27/2009, de 29 de Setembro, sobre o Ensino Superior, publicada no Boletim da República Iº Série, Número 38; pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique e pelo Regulamento em vigor na UCM.

Os Recursos Humanos são hoje considerados o activo mais valioso das empresas. Neste contexto, a posição competitiva das empresas passa, em boa parte, pela capacidade dos seus gestores atraírem e manterem as competências estratégicas necessárias e de formarem uma equipa de colaboradores empenhados e comprometidos com o trabalho e a missão da empresa.

As competências exigidas para o reforço da posição competitiva das empresas num quadro de mercado aberto são diversificadas e mutáveis. Nesta perspectiva, para dar resposta há novas solicitações, a Universidade Católica de Moçambique desenhou o Mestrado em Gestão de Recursos Humanos, consciente de que a formação superior dos recursos humanos requer uma sofisticação crescente das técnicas e das metodologias de gestão.

O curso de Mestrado em Gestão de Recursos Humanos tem a duração de quatro (4) semestres correspondendo a acumulação de 120 créditos. Na UCM, uma unidade de crédito académico corresponde a vinte e cinco (25) horas de trabalho do estudante, que inclui frequência às aulas teóricas e práticas, estudo individual e de grupo, realização de provas, trabalho de tutoria, entre outros. A distribuição de créditos por unidade curricular obedece o critério de proporcionalidade entre o número de créditos e o volume do trabalho na unidade curricular.

Perfil

No contexto da adequação ao perfil descrito às unidades curriculares, o curso tem por finalidade proporcionar aos mestres em Gestão de Recursos Humanos conteúdos que podem ser aprimorados com a auto-aprendizagem ao longo da vida:

  1. O conhecimento e domínio de técnicas de resolução de problemas de gestão de recursos humanos, em situações novas e não familiares, e contribuindo para que, enquanto gestores de recursos humanos, se tornem agentes de mudança e de reforço do desempenho e do bem-estar organizacional, por um lado, e bem-estar dos recursos humanos, por outro lado.
  2. Conhecimento das literacias formais e não formais e análise crítica das questões de gestão de recursos humanos nos contextos organizacionais em que ocorrem.
  3. Integração de conhecimentos, lidar com questões complexas, desenvolver soluções ou emitir juízos em situações de informação limitada ou incompleta, incluindo reflexões sobre as responsabilidades éticas e sociais que resultem ou condicionem essas soluções e esses juízos.
  4. Domínio de estratégias no campo do relacionamento interpessoal, no âmbito do trabalho em equipa, motivação e na resolução e gestão de conflitos.
  5. O domínio e o desenvolvimento de competências éticas/deontológicas e de pesquisa em temáticas ligadas a gestão de recursos humanos, aliada a capacidade de comunicar seus conhecimentos, raciocínios, e as suas conclusões, de uma forma clara e sem ambiguidades

Competências

O graduado mestre em Gestão de Recursos Humanos, para solucionar problemas concretos de gestão dos processos, políticas e práticas dos recursos humanos, deve desenvolver as seguintes capacidades:

  1. Responder aos problemas concretos da gestão dos processos, políticas e práticas que envolvem as pessoas nas organizações de forma dinâmica, criativa e proactiva aplicando com mestria os instrumentos e técnicas de gestão de recursos humanos, de desenvolvimento organizacional e de facilitação dos processos de mudança.
  2. Planear, organizar e implementar políticas e práticas sobre qualquer vertente de gestão de recursos humanos e, avaliar a sua eficácia e, cumulativamente, identificar, analisar, interpretar os factores ambientais e avaliar o seu impacto na gestão de recursos humanos.
  3. Conceber, gerir de forma integrada projectos aplicáveis a um todo coerente e consistente com as políticas de gestão dos recursos humanos das organizações, contribuindo para a que tenham colaboradores motivados, competentes e comprometidos com as suas missões.
  4. Agir e ter um comportamento ético, autonomia intelectual e capacidade crítica para articular teorias, métodos e práticas sociais e organizacionais, ou seja, analisar, interpretar e criticar comportamentos individuais ou de grupos em contexto de trabalho e avaliar as suas implicações para os indivíduos e para a organização bem como compreender na generalidade a realidade da gestão de recursos humanos.
  5. Propor, promover e desenvolver autonomamente, de forma rigorosa, sistemática e completa, investigações sobre temáticas de gestão de recursos humanos com o fim de melhorar o desempenho profissional e a qualidade de vida do capital humano dentro das organizações.

Saídas Profissionais

Todas as organizações funcionam com e necessitam de pessoas. E se partimos do pressuposto de que não existe nenhuma organização sem pessoas, pode-se afirmar seguramente que, o mestre em Gestão Recursos Humanos tem um vasto leque de saídas profissionais, podendo exercer a sua actividade profissional em qualquer instituição, empresa ou organização governamental ou não governamental, nas áreas de:

  • Gestão de Pessoal;
  • Gestão de Relações Laborais;
  • Assessoria de Administração;
  • Gestão de Recrutamento e Seleção;
  • Gestão de Carreiras; Gestão de Desempenho;
  • Mediação de Conflitos Laborais;
  • Gestão Estratégica de Mudança;
  • Formação Profissional e Avaliação de Desempenho.

Plano Curricular

Para completar a parte académica do 2º Ciclo de quatro (4) semestres o estudante deve acumular 120 créditos académicos, dos quais 60 créditos se referem os 10 módulos e os restantes 60 créditos podem ser acumulados tendo em conta a Dissertação para elaboração do Trabalho de Fim de Curso do Mestrado Académico.

Mestrado em Saúde Pública

Grau académico:

Mestrado em Saúde Pública

Título Profissional:

Mestre em Saúde Pública

Duração:

2 Anos


O Mestrado em Saúde Pública é criado no âmbito do desenvolvimento institucional da UCM como forma de responder aos novos desafios na área de ciências da saúde.

A partir do ano 2000 a UCM abriu na Beira, a Faculdade de Medicina, actualmente denominada de Faculdade de Ciências da Saúde (FCS), que ao longo destes anos, dedica-se à formação de técnicos e especialistas em saúde, ao nível de Licenciatura, nas áreas de Medicina, Enfermagem, Análises Clínicas, Administração e Gestão Hospitalar, Farmácia, Psicologia Clínica e Assistência Social e, contribui, assim, para o aperfeiçoamento e a qualificação do pessoal e o aumento da qualidade de atendimento na rede nacional da saúde.

Todavia, no mundo de rápidas transformações e mudanças, impulsionadas pelas tecnologias de informação e pela velocidade de construção de novos conhecimentos sabe-se que os pressupostos técnicos/práticos e teóricos que os profissionais de saúde adquirem em níveis anteriores e de Licenciatura seriam insuficientes para habilitá-los às competências e aos saberes necessários a essa área, tão sensível e delicada. Daí a necessidade de aprofundamento da formação dos profissionais de saúde em níveis de Pós-Graduação, o que motiva a criação do Mestrado em Saúde Pública.

Com a criação do Mestrado em Saúde Pública, a UCM participa de forma activa na concretização do preconizado pela legislação do Ensino Superior, ora em vigor em Moçambique, no sentido de “desenvolver acções de pós-graduação tendente à profissionalização científico e técnico dos docentes e dos profissionais de nível superior em serviço nos vários ramos e sectores de actividades”. (Cfr. Lei 5/2003, de 21 de janeiro, art. 3, alínea f).


OBJECTIVOS DO CURSO

Objectivos Gerais

No final do curso de Mestrado em Saúde Pública os graduados deverão: desenvolver conhecimentos, aptidões e competências teóricas e práticas que os habilitem à realização de análise, planificação, desenvolvimento, implementação e avaliação de políticas públicas e tecnologias em saúde, tendo em conta os contextos epidemiológicos, social e ambiental no cenário nacional e internacional, em prol da melhoria da saúde das populações e do sistema de saúde, tanto em Moçambique como em âmbito mais alargado do continente africano e do mundo, no plano científico, profissional e da cidadania.


PERFIS DO CURSO

O curso de Mestrado em Saúde Pública a ser desenvolvido pela UCM-FCS vem atender à formação no mais alto nível. Neste sentido, o curso pauta por uma exigência maior no perfil de entrada que se manifestará no perfil de saída e ocupacional dos futuros mestres.

Perfil de entrada

Podem candidatar-se ao curso de Mestrado em Saúde Pública da UCM-FCS:

  1. Candidatos que tenham concluído o nível de licenciatura ou equivalente, devidamente reconhecido pelas autoridades moçambicanas, em áreas de Medicina, Enfermagem, Análises Clínicas, Farmácia, Ciências Veterinárias e Biológicas, Ciências Sociais, Economia e áreas afins;
  2. Os que tendo concluído o nível anterior demonstrem a partir de um concurso documental possuir capacidades básicas para a sua frequência

Perfil

Espera-se que ao final do curso de Mestrado em Saúde Pública, os graduados possam dispor de conhecimentos e aptidões que os habilitem a contribuir para a melhoria da saúde das populações e dos sistemas de saúde, tanto em Moçambique como em âmbito mais alargado, no plano científico, profissional e da cidadania para além de competências para:

  1. Reunir, analisar, interpretar e apresentar com rigor o estado actual do conhecimento sobre as principais questões da Saúde Pública e as suas vertentes;
  2. Participar na planificação, execução e avaliação de acções concretas nos sistemas de saúde e na comunidade;
  3. Contribuir, como profissionais e cidadãos, para a melhoria da saúde e dos sistemas de saúde, tanto no País como no conjunto da África e, sempre que se proporcionar, num âmbito ainda mais alargado, particularmente nos países do mundo inteiro;
  4. Reflectir e avaliar, crítica e continuamente, a respectiva prática profissional;
  5. Exercer actividades específicas nas áreas de especialização previstas.

Competências

Especificamente, ao fim do curso de Mestrado em Saúde Pública os graduados devem ser capazes de:

  1. Promover a saúde, reduzindo o impacto das doenças entre as populações; a partir da planificação, execução e avaliação de acções concretas nos sistemas de saúde e nas comunidades;
  2. Actuar criticamente no desenho de estudos e práticas de saúde pública a partir de conhecimentos acumulados sobre os processos ecológicos, evolutivos e sociais envolvidos no surgimento de epidemias e endemias das doenças transmissíveis.
  3. Realizar investigações interdisciplinares sobre os problemas que emergem na construção e aplicação do conhecimento em saúde pública, através do desenvolvimento da capacidade analítica e interpretativa das realidades socioculturais.
  4. Actuar em áreas de docência e nos diversos âmbitos de formação de profissionais de saúde.

Saídas Profissionais

Espera-se que o Mestre em Saúde Pública possa exercer as seguintes actividades:

  1. Na direcção das diversas instituições do sistema nacional de saúde, organizações não-governamentais e afins;
  2. Na assessoria e consultoria dos órgãos de gestão em saúde de instituições públicas, estatais, privadas e comunitárias;
  3. Na gestão dos processos de certificação da segurança alimentar e ambiental em empresas públicas, privadas e organizações não-governamentais.
  4. Na investigação e docência em instituições de formação na área da saúde.

Plano curricular

Conteúdo não disponível - volte em breve.

Mestrado em Tecnologias da Informação

Grau académico:

Mestrado

Título Profissional:

Mestre em Tecnologias da Informação

Duração:

2 Anos


O novo curso de Mestrado Profissionalizante em Tecnologias da Informação rege-se pela Lei n.27/2009 de 29 de Setembro, sobre o ensino superior, publicada no Boletim da República I Série, Número 38; pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique e pelo Regulamento em vigor na Faculdade de Gestão de Turismo e Informática. Com um elevado nível académico e um corpo docente internacional, a UCM quer trazer a Moçambique um curso especializado para profissionais com uma clara vontade de superação.

Os estudantes poderão realizar, dentro do Mestrado em Tecnologias da Informação, uma especialização em uma das seguintes áreas:

  • Database Administration (Administração de Bases de Dados).
  • Software Engineering (Engenharia de Software).
  • Systems and Network Administration (Administração de Sistemas e Redes).

Os estudantes que não completarem a parte da dissertação, podem receber um diploma de pós-graduação em Tecnologias da Informação, com especialização numa das três áreas citadas.

Cada módulo está desenhado, é ensinado e actualizado por uma equipa de académicos com uma longa experiência de pesquisa e consultoria no seu campo. Isto possibilita que os estudantes fiquem expostos ao pensamento actual e possam estar em contacto com importantes novos desenvolvimentos nas Tecnologias da Informação e Comunicação.

Perfil

O mestre em Tecnologias da Informação é um profissional altamente qualificado, com habilidades de gestão e uma perspectiva ampla sobre os negócios e o mercado, e com um treinamento avançado em Tecnologias da Informação, que lhe permitem dar uma resposta criativa e profissional a problemas concretos, por meio das tecnologias actuais e emergentes.

O público-alvo do Mestrado em Tecnologias da Informação são profissionais licenciados em várias áreas, compreendendo Tecnologias da Informação, Matemática, Física ou Engenharia Electrónica. Candidatos com outros cursos, mas uma experiência profissional no campo das Tecnologias da Informação, podem também ser considerados. Se necessário, o candidato pode ser chamado para uma entrevista inicial.

Competências

O mestre em Tecnologias da Informação possui as seguintes competências:
  • Conhecer os princípios subjacentes das tecnologias da informação actuais e emergentes.
  • Possuir habilidades técnicas e profissionais avançadas para um desenvolvimento profissional contínuo.
  • Ser capaz de desenvolver pesquisas que contribuam para o desenvolvimento de novas técnicas e tecnologias.
  • Ser capaz de desenvolver um pensamento analítico e crítico.
  • Ser capaz de integrar as Tecnologias da Informação com os fundamentos da gestão de empresas.
  • Ser capaz de planificar, desenhar e construir, usando as práticas e técnicas mais reconhecidas, soluções de Tecnologias da Informação viáveis e apropriadas para problemas específicos, que compreendam características como confiabilidade, qualidade e segurança.
  • Ter habilidades elevadas de comunicação, interpessoais e de trabalho em equipa.
Saídas Profissionais

O profissional formado neste mestrado poderá trabalhar no sector privado, no sector público ou criar negócios próprios, para consultoria e gestão de serviços na aplicação das tecnologias da informação, desenvolvimento de software e administração de sistemas e redes. Igualmente, poderá trabalhar como investigador especializado nas tecnologias da informação, e como académico ou docente universitário.

Plano Curricular

Para completar o curso de Mestrado em Tecnologias da Informação, cada estudante deverá acumular 93 créditos académicos, dos quais 63 créditos se referem às disciplinas curriculares e os restantes 30 à elaboração do trabalho de fim de curso (dissertação). Quem não concluir a parte da dissertação, terá direito a um diploma de pós-graduação.

Doutoramentos

Doutoramento em Humanidades Ciências Politica: Governação e Relações Internacionais

Grau académico:

Doutoramento

Título Profissional:

Doutor em Humanidades, Ciências Politica: Governação e Relações Internacionais

Duração:

3 Anos


Ambos os Cursos, Doutoramento em CPRI e Humanidades, iniciaram no ano académico de 2017.

A primeira edição iniciou com 56 estudantes, no curso CPRI 21 estudantes e Humanidades com 35.

A cerimónia de abertura dos doutoramentos teve lugar na Faculdade de Ciências Sociais e Políticas da UCM, em Quelimane com aula de sapiência do Professor D. Anor. Coordenador do Curso Professor Doutor Alfândega Manjoro.

Em 2019, estão abertas as inscrições para segunda edição do Doutoramento em Ciências Políticas.

As aulas dos cursos acima citados, decorrem nas instalações da Faculdade de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Católica de Moçambique em salas climatizadas e confortáveis.