Faculdade de ciências de saúde

Missão

A Faculdade de Ciências de Saúde da Universidade Católica de Moçambique esta empenhada para a formação de profissionais de saúde de excelência e para o reconhecimento nacional e internacional como líder na aprendizagem inovadora centrada no estudante, na educação da comunidade envolvida e na investigação científica.

Visão

Educação e Investigação Científica Inovadora para um Moçambique mais saudável.

Licenciaturas

Licenciatura em Administração e Gestão Hospitalar

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Administrador Hospitalar

Duração:

4 Anos


 A organização e administração dos serviços de saúde, nomeadamente os serviços hospitalares, ocupa hoje um lugar de relevo nas ciências da saúde. A crescente complexidade das ciências médicas e o crescente grau de exigência dos cidadãos e dos seus representantes, faz com que se torne uma realidade incontornável a necessidade imperiosa de se dispor de serviços de saúde eficazes e eficientes, onde os diferentes actores possam exercer melhor possível a sua actividade e maximizar a satisfação dos seus utentes. É consensual que os hospitais e os centros de saúde desempenham um papel activo nos diversos programas de saúde e de protecção social, e que o seu funcionamento racional e efectivo tenha repercussões várias sobre o desenvolvimento económico das sociedades.

Consciente desta realidade, a Universidade Católica de Moçambique (UCM) oferece à sociedade uma licenciatura em Administração e Gestão Hospitalar, com a duração de quatro anos dividido em oito semestres, onde se abordam conceitos de gestão básicos a qualquer licenciatura nesta área, mas que serão especialmente direccionados para um sector que, pela sua importância económica e social, pelo número de recursos que mobiliza, pelos vários desafios na melhoria da qualidade dos serviços e, essencialmente, pelas suas especificidade, justifica.

Dois semestres desta licenciatura serão, por outro lado, integralmente ministrados num serviço de saúde, de modo a aproximar a escola da instituição e a complementar a indispensável vertente teórica com a aplicação prática dos conceitos no terreno, a partir de um estágio prático de gestão hospitalar.

Perfil

O Licenciado em Administração e Gestão Hospitalar é um profissional capaz de exercer as suas funções nas unidades sanitárias dos níveis II, III e IV, isto é, nos Hospitais Gerais e Rurais, Provinciais, Especializados e Centrais. Os graduados deste curso têm uma visão geral do funcionamento das organizações públicas ou privadas, com conhecimento e domínio do funcionamento das instituições do Aparelho do Estado, facto que lhes permite exercer funções de direcção e chefia nos níveis Central e Provincial.

Estes profissionais são responsáveis pela promoção das boas práticas ao nível das suas unidades sanitárias, através do desenvolvimento das actividades formativas de quadros básicos e médios, com incidência em administração Hospitalar.

Competências

O Licenciado em administração e Gestão hospitalar terá no fim do seu curso, as seguintes Competências:

  • Na Gestão de Recursos Humanos
    • Ter espírito de Liderança e de inovação, e capacidade de integrar-se numa equipa de trabalho;
    • Promover o espírito de cooperação entre o superior hierárquico e seus subordinados;
    • Garantir o cumprimento das disposições legais plasmadas no Estatuto Geral dos Funcionários do Estado;
    • Utilizar técnicas de recrutamento e selecção de pessoal, com base nas normas existentes;
    • Estabelecer regras de planificação e coordenação das actividades inerentes ao bom funcionamento dos recursos humanos;
    • Elaborar projectos de formação contínua, visando elevar a auto estima e motivação do pessoal afecto à instituição;
    • Desenvolver trabalhos de pesquisa, empregando métodos de investigação científica, com vista a melhorar a eficiência e a eficácia das tarefas;
    • Zelar pelo cumprimento das ordens de serviço, regulamentos e estatutos da instituição;
  • Gestão de Recursos Financeiros
    • Planificar, coordenar e monitorar a elaboração dos orçamentos anuais e plurianuais com base nos pressupostos da Lei do SISTAFE;
    • Conhecer as metodologias de elaboração do Orçamento do Estado definidas pelo Ministério do Plano e Finanças (MPF);
    • Monitorar a elaboração de relatórios financeiros periódicos;
    • Supervisionar a execução orçamental dos recursos financeiros da instituição;
    • Manter actualizada a informação sobre fontes de financiamentos;
    • Institucionalizar e gerir sistemas de informação para a gestão eficiente das finanças do hospital;
    • Desenvolver estudos de Avaliação Económica de Saúde;
  • Gestão de Recursos Materiais
    • Planificar, coordenar e supervisionar o sector de aprovisionamento;
    • Propor normas para administração e gestão de materiais;
    • Participar nos estudos específicos à política de compras, levando em conta a situação financeira e as vantagens da manutenção de determinados níveis de armazenamento;
    • Fiscalizar as actividades do pessoal que estiverem sob sua responsabilidade;
    • Elaborar programas de implementação do sistema de classificação e codificação dos produtos armazenados;
    • Acompanhar rigorosamente os processos de licitação e de compras, desde a divulgação do edital até à fase de adjudicação, devendo saber observar as normas do Ministério do Plano e Finanças (MPF);
  • No âmbito do Ensino
    • Participar em programas de formação em administração e gestão hospitalar para cursos de especialização, de nível médio e de nível básico;
    • Participar na elaboração de manuais de formação e seminários no domínio de administração e gestão hospitalar em particular;
    • Promover actividades de formação inicial e contínua das equipas de trabalho nas unidades sanitárias, de acordo com as necessidades identificadas;
  • No âmbito da Investigação
    • Planificar pesquisas de opinião e satisfação dos usuários e assegurar o seu tratamento estatístico;
    • Coordenar actividades de pesquisa em sistemas gerências nos hospitais, com vista a fortalecer a capacidade investigativa dos profissionais de administração hospitalar;
    • Estimular a participação dos técnicos e agentes de administração nas jornadas científicas promovidas pelas instituições vocacionadas para o efeito.

Saídas Profissionais

Conteúdo não disponível - Em manutenção.

Plano curricular

O método aplicado é clássico, com disciplinas semestrais e anuais. Avaliação contínua (trabalhos, testes e exames).

Para completar o curso de Licenciatura em Administração e Gestão Hospitalar,cada estudante deverá aprovar a todas as disciplinas do plano curricular, as quais perfazem um total de 237.84 créditos académicos.

 

Licenciatura em Análises Clínicas e Laboratoriais

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Análises Clínicas e Laboratoriais

Duração

4 Anos


As Análises Clínicas e Laboratoriais são reconhecidas como áreas de grande relevância no desempenho profissional em expansão, contribuindo para o diagnóstico laboratorial que constitui um domínio precioso e indispensável para a qualidade dos cuidados de saúde prestados aos indivíduos e comunidades.

O Curso de licenciatura em Análises Clínicas e Laboratoriais é centrado na formação de profissionais aptos a actuar em vários campos da área da Saúde, tendo em conta a dinâmica de desenvolvimentos em curso dos campos de medicina, aumentando o desempenho em laboratório clínico e anatomia patológica, bem como em programas de saúde pública e em equipas multidisciplinares.

O Curso é dirigido a titulares da 12ª classe do SNE, ou equivalente, que desejem prosseguir uma formação técnico-profissional superior, ao nível da Licenciatura na área de análises Clínicas e Laboratoriais, com competência específica, que lhes permita responder adequadamente às necessidades dos serviços, no âmbito das análises laboratoriais de natureza clínica, de saúde pública ou outras, que lhe sejam requeridos, garantindo o elevado perfil deontológico e competência profissional.

Perfil

O Licenciado em Análises Clínicas e Laboratoriais é um profissional da saúde detentor de qualificações, através duma formação académica e prático-experiencial, com a finalidade de prover serviços em laboratório clínico, anatomo-patológico e outras áreas da Saúde Pública, que pode actuar em diversos campos de análises como:

  • Laboratórios Clínicos nas Unidades Sanitárias de todos os níveis de atenção de saúde;
  • Laboratórios da Indústria Farmacêutica;
  • Laboratórios Industrias Comerciais;
  • Laboratórios de Higiene de Água e Alimentos ;
  • Institutos de Investigação;
  • Laboratórios públicos e privados;
  • Nas áreas de formação profissional: Universidades; Institutos Superiores; Outras Instituições de Formação.

Competêncais

O Licenciado em Análise Clínica e Laboratorial terá, no fim do curso, as seguintes competências:

  • Adquirir os conhecimentos fundamentais e conceitos gerais que lhe permitam a gestão adequada das fases pré-analítica e analítica dos processamentos laboratoriais;
  • Conhecer todas as técnicas de controlo de qualidade, interno e externo, que contribuem para a boa organização dos laboratórios, bem como uma adequada gestão da informação analítica;
  • Dominar todas as técnicas Físico-Químicas, Hematológicas, Bioquímicas, Microbiológicas, Imunológicas, Histo-Citológicas, Biologia Molecular e Inumo-Hemoterapia, que se aplicam no diagnóstico laboratorial.

Saídas Profissionais

O Licenciado em Análises Clínicas e Laboratoriais é um profissional da saúde detentor de competências que o qualificam para várias saídas na aplicação profissional, como desenvolver as actividades em:

Laboratórios privados;

Laboratórios da indústria farmacêutica e industrias comerciais de fermentação;

Laboratórios de higiene e qualidade de água nas indústrias privadas, fábricas de purificação e conservas de alimentos;

Institutos de investigação em saúde;

Pode ainda ser Docente nas Universidades, Institutos Superiores ou outras Instituições de Formação.

 

Licenciatura em Enfermagem

Grau académico:

Licenciado

Título Profissional:

Enfermeiro

Duração:

4 Anos


Perfil

O graduado será capaz de oferecer serviços qualificados: nos hospitais, no ensino, na administração hospitalar e na pesquisa.

Competências

O graduado em Licenciatura em Enfermagem tem habilitações e competências que lhe permite desenvolver actividades profissionais em:

  • Comunicação - O enfermeiro licenciado estimula a efectivação da relação entre o paciente e o enfermeiro e a comunicação, antes, durante e depois do contacto com o paciente e a comunidade.
  • Cooperação/Colaboração - O enfermeiro licenciado colabora efectivamente na equipa multidisciplinar em benefício do melhor cuidado para o paciente e a comunidade.
  • Ensino e Pesquisa - O enfermeiro licenciado deve ter capacidade de aprender, de reflectir, de ensinar, de produzir, agir e aplicar os conhecimentos no trabalho pessoal, de grupo e comunitário.
  • Gestão e Administração de qualidade - O enfermeiro licenciado contribui para a continuidade e efectividade da organização hospitalar e da saúde pública.
  • Identidade Profissional - O enfermeiro licenciado melhora a saúde e bem-estar dos indivíduos e da sociedade, para executar a profissão de maneira ética, para regular a profissão ao nível do grupo profissional e de acordo com as normas de alto comportamento pessoal.
  • Serviços Assistenciais - O enfermeiro licenciado integra o conhecimento e habilidades e atitudes Profissionais para prestar óptimos cuidados de enfermagem para o paciente ou em benefício da família e comunidade.
  • Serviços Sociais - O enfermeiro licenciado é perito e usa a influência de maneira responsável em benefício da saúde e do bem-estar dos indivíduos, da comunidade e da população.

Saídas Profissionais

O graduado será capaz de oferecer serviços qualificados: nos hospitais, no ensino, na administração hospitalar e na pesquisa. Aptidão para frequentar cursos de Pós-graduação.

Plano Curricular

O curso desenvolve-se ao longo de 8 semestres (4 anos) com uma carga horária total de 6,400 hr, que correspondem a 430 créditos.

O ano académico é dividido em 8 unidades didácticas, chamadas “módulos” com duração de 4-6 semanas cada. Estes módulos abordam de maneira multidisciplinar e integrada a parte teórica e prática. A aprendizagem prática das técnicas de enfermagem será coordenada com o sistema que se estuda no módulo.

Licenciatura em Farmácia

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Farmacia

Duração

4 Anos


O Curso de licenciatura em Farmácia, rege –se pela lei n º 27/2009 de 29 de Setembro, sobre o ensino superior, publicada no boletim da República I Série, número 38; e pelos estatutos da Universidade Católica de Moçambique; em conjugação com o regulamento em vigor na Faculdade de Ciências de Saúde.

Destinando-se a formar profissionais habilitados a exercerem as actividades tradicionalmente associadas à profissão farmacêutica, nomeadamente a nível da Farmácia de Oficina, Farmácia Hospitalar, Indústria Farmacêutica (desenvolvimento, fabrico, controlo de qualidade, marketing e assuntos regulamentares), distribuição grossista de medicamentos, Análises Clínicas e variadas outras actividades de índole analítica (análises químicas, hidrológicas, bromatológicas, microbiológicas, toxicológicas, etc.), ensino e investigação. Em particular, destina-se a formar profissionais devidamente habilitados a exercer com exclusiva competência e responsabilidade as actividades que integram o conteúdo do Acto Farmacêutico (Decreto-Lei n.º 4/99).

De modo a habilitar os Licenciados para estas múltiplas saídas profissionais, o Curso de Licenciatura em Farmácia da UCM proporciona uma formação abrangente, com 4 anos de duração, em que se associam de forma equilibrada as matérias básicas (nos primeiros anos) com disciplinas de especialidade (a partir do 2º ano), a que acresce um Estágio profissionalizante (no 2º semestre do 4º ano), integrador dos conhecimentos e facilitador da inserção dos alunos na actividade profissional.

Importa destacar que o perfil do curso de Licenciatura em Farmácia, a nível Moçambicano, está condicionado normativamente por Directivas específicas e que o Curso de Licenciatura em Farmácia da UCM, procura respeitar integralmente quer quanto aos conteúdos curriculares quer quanto à repartição entre ensino teórico e prático, de modo a conservar o carácter universitário e profissionalizante do mesmo.

O objectivo é de assegurar que o Curso de Licenciatura em Farmácia da UCM seja adaptável ao rápido evoluir dos conhecimentos científicos.

Aos alunos que tenham realizado os 240 créditos correspondentes a oito semestres curriculares de trabalho é conferido o grau de licenciado em Farmácia.

Perfil

O perfil profissional do licenciado em Farmácia é um Farmacéutico com conhecimento abrangentes para enfrentar o mundo moderno globalizado, capaz de responder os problemas da sociedade nos seus aspectos bio-psico-sociais, promovendo a assistencia farmacéutica, a farmacovigilância e a vigilância sanitária à comunidade, bem como participar na politica nacional de medicamentos.

Competêncais

O Licenciado em Farmácia terá no fim do seu curso, as seguintes competências:

  • Trabalhar com o fármaco-medicamento;
  • Ter o dever de desenvolver e implantar uma política de medicamento;
  • exercer a assistência farmacêutica crítica em todos os níveis das diversas acções de saúde individual e colectiva;
  • Nos hospitais, se destaca a figura do farmacêutico hospitalar que, em realidade, atende a um preceito legal;
  • Desenvolver trabalhos laboratorias de Análises Clínicas, toxicológicas e de alimentos nos aspectos social, científico e tecnológico;
  • Intervem na área da indústria de medicamentos e cosméticos, nas Universidades e Institutos de Pesquisa;
  • Ter espírito criativo, esta formação profissional permite o desenvolvimento de inovações, tanto em técnicas e métodos, quanto em produtos específicos;
  • Na area administrativa permite lhe administrar o exercício das actividades farmacêuticas, visando à eficiência e à qualidade na produção ou prestação de serviços;
  • Ter espírito de organização, de liderança e de inovaçào com capacidade de se integrar numa equipe de trabalho;
  • Recolher, selecionar e avaliar informações a partir de fontes diversas, de forma a construir uma linha de pensamento lógico e sistemático, em particular de:
    1. Monografias de medicamentos e produtos de saúde;
    2. Informação sobre matérias-primas e excipientes para a produção de medicamentos;
    3. Informação sobre reagentes para o controlo de qualidade de medicamentos;
    4. Informação sobre tecnologias de produção e distribuição de medicamentos;
  • Análise e interpretação de uma prescrição médica;
  • Ter Relacionamento e comunicação com os doentes/utentes, outros profissionais de saúde e comunidade em geral;
  • Contribuir para a melhoria dos cuidados de saúde através da aplicação de programas de intervenção comunitária, usando técnicas de comunicação e outras técnicas de aprendizagem e estratégias para a promoção da saúde;
  • Actuar em conformidade com a diversidade bio-psico-emo-social dos doentes/utentes e da equipa de saúde;
  • Participação em projectos originais de pesquisa e investigação directamente relacionados com o reconhecimento de problemas detectados na avaliação dos resultados da prática profissional, incluindo a capacidade de seleccionar os procedimentos e técnicas mais apropriado;
  • Participar em programas de formação em farmácia para cursos de especialização, de nível médio e de nível básico;

Saídas Profissionais

O curso de Licenciatura em Farmácia ablita o estudante a trabalhar em:

  • Farmácia Comunitária,
  • Farmácia Hospitalar,
  • Distribuição Farmacêutica,
  • Industria Farmacêutica.
  • Análises Microbiologicas.
  • Análises Hidrológicas.
  • Análises Toxicológicas.
  • Indústria Agro-Alimentar

Plano Curricular

O método aplicado é clássico, mas com inrodução de elementos participativos centrados no estudante, com disciplinas semestrais e outras anuais. Avaliação contínua (trabalhos, testes, seminários e exames)

Para completar o curso de Licenciatura em farmácia, cada estudante deverá aprovar a todas disciplinas do plano curricular, que perfazem um total de 240 créditos académicos que terminam com a apresentação da Monografia.

Para completar a parte académica do ciclo de lecenciatura de 4 anos cada estudante deverá aprovar aprovar todas as 54 disciplinas, somando um total de 240 créditos académicos.

Licenciatura em Medicina

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Licenciado em Medicina

Duração:

6 Anos


A Faculdade de Ciências de Saúde (FSC) da Universidade Católica de Moçambique abriu as suas portas aos estudantes em Agosto de 2000. Daí em diante, o número de estudantes inscritos tem vindo a aumentar anualmente, sendo agora mais de 372. Situada na Beira, esta faculdade oferece aos jovens Moçambicanos a possibilidade de estudar e trabalhar num ambiente apropriado para o desenvolvimento das suas capacidades profissionais e para o crescimento da sua personalidade.Os primeiros estudantes graduaram em Agosto 2007.

O corpo docente da Faculdade é composto por professores de diferentes nacionalidades e quer envolver cada vez mais docentes Moçambicanos. A Universidade recebe regularmente professores da Europa e U.S.A., para darem palestras e workshops da sua competência. Os estudantes são treinados a falar e entender o inglês.

Além das actividades didácticas próprias de qualquer curso de Medicina, esta faculdade organiza um programa de Saúde Familiar e Comunitária, com actividades acompanhadas no bairro adjacente à Faculdade. No 3º e 4º anos, os estudantes são integrados na “Clínica Universitária”, um consultório onde aprendem a fazer exames médicos em pequenos grupos, sob a supervisão dum Médico da Faculdade. Deste modo, preparam-se para entrar no estágio clínico no 5º ano. No 5º e 6º anos os estudantes passam todo o dia no Hospital Central de Beira, aplicando os conhecimentos teóricos que foram aprendendo nos anos anteriores, e desenvolvendo habilidades práticas. A partir daí, estão prontos para entrarem na profissão médica.

Perfil

No final dos 6 anos de formação na Faculdade de Ciências de Saúde da UCM, o Médico Generalista graduado está dotado de conhecimentos sólidos nas áreas que mencionamos a seguir, mas,sobretudo, é racional, conhece as suas limitações e solicita ajuda sempre que precisar.

As suas competências em Ciências Médicas são:

  • Anatomia
  • Aspectos psiquiátricos
  • Conhecimento dos conceitos básicos, incluindo o custo do tratamento dos pacientes
  • Conhecimento e compreensão das razões específicas na prática de saúde pública em Moçambique
  • Conhecimento sobre as principais patologias em Moçambique
  • Conhecimento sobre o Estatuto Geral do Funcionário Público
  • Conhecimento sobre os princípios da Deontologia Médica
  • Conhecimentos sobre os princípios de demandas de saúde do País e ferramentas que podem ser usadas para a medição
  • Controlo dos principais meios de transmissão de doenças
  • Custo e benefício do uso dos recursos
  • Doenças infecciosas
  • Epidemiologia
  • Estar ciente de que a medicina é uma ciência dinâmica e acompanhar a sua evolução
  • Factores socio-culturais relacionados com as patologias
  • Farmacocinética
  • Farmacodinâmica
  • Fisiologia
  • Fisiopatologia
  • Gestão das Unidades Sanitárias
  • História Natural das Doenças
  • O efeito das doenças sobre a economia nacional
  • Opções terapêuticas
  • Os custos de saúde
  • Os programas de vacinação
  • Política nacional de saúde
  • Prevenção de doenças
  • Princípios de planificação de cuidados de saúde
  • Programas de Saúde Materno-Infantil (SMI)
  • Saneamento do meio
  • Tipos de sistemas de cuidados de saúde

Competêncais

O médico graduado na UCM

  • Está dotado de capacidade de investigação científica
  • Tem capacidade de utilizar os seus conhecimentos e aplicá-los na prática clínica diária para diagnóstico, tratamento e reabilitação
  • Tem capacidade de Docência em Ciências Médicas
  • Tem capacidade de Gestão Sanitária Racional adaptada à realidade do País, de acordo com os objectivos do Governo Moçambicano
  • Tem capacidade de liderança e empreendedorismo
  • Tem capacidade de trabalhar nas zonas rurais com escassez de recursos
  • Tem conhecimentos sobre a promoção de saúde e prevenção das doenças
  • Tem habilidades de comunicação, sobretudo, como comunicar más notícias, o que é frequente no dia-a-dia de um profissional de saúde
  • Tem habilidades de tomadas de decisão e julgamento clínico racional
  • Tem habilidades de trabalho em equipa e facilidade de comunicação em língua portuguesa e inglesa

Saídas Profissionais

Os licenciados deste curso poderão enquadrar-se nos seguintes sectores:

  • Organizações Não Governamentais, nacionais e estrangeiras
  • Sector privado
  • Sector público (Serviço Nacional de Saúde)

Plano Curricular

O curso de Licenciatura em Medicina na UCM, Faculdade de Ciências de Saúde, tem a duração de 6 anos. Para completar o curso de Licenciatura em Medicina, cada estudante deverá aprovar todas os Blocos do 1º ao 4º ano , testes progressos, OSCE e todas as rotações dos dois últimos anos ( Estágio Clínico), que inclui 5 semanas de Estágio Rural, 4 Semanas de Estágio em Cuidados Primários e 6 Semanas de Medicina Legal e Gestão Hospitalar.

Para ser admitido neste curso,o candidato tem a possibilidade de realizar um exame de admissão que lhe permite entrar directamente no primeiro ano, caso tenha,também, média final igual ou superior a 12 valores no certificado de 12ª classe ou equivalente (cf. Ponto 4 do Edital). Caso não, pode iniciar pelo ano propedêutico. A idade deve ser inferior a 35 anos.

O ano propedêutico tem os seguintes objectivos:

  • Ajudar o estudante a atingir o nível necessário para ingressar no primeiro ano;
  • Fazer a selecção de estudantes com conhecimentos, capacidades e atitudes adequadas;
  • Introduzir o estudante nos conhecimentos, nas capacidades e habilidades necessárias para o estudo de Medicina;
  • Preparar o estudante na metodologia de aprendizagem da Faculdade,
  • Sensibilizar os estudantes para a valorização e o respeito da pessoa humana.

O ano propedêutico é obrigatório para todos os estudantes que queiram ingressar no primeiro ano, excepto os que tiveram média final de 12 valores ou mais na 12ª classe e que tenham aprovado no exame de admissão.

Licenciatura em Psicologia Clínica e Assistência Social

Grau académico:

Licenciatura

Título Profissional:

Psicólogo Clínico e Assistente Social

Duração

4 Anos


O curso de Licenciatura em Psicologia Clínica e Assistência Social rege-se pela Lei n° 27/2009, de 29 de Setembro, sobre o Ensino Superior, publicada no Boletim da República I Série, Número 38; pelos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique e pelo Regulamento em vigor na Faculdade de Ciências de Saúde.

O curso tem como objectivo formar profissionais de saúde com capacidade e competência para actuarem nos diversos domínios da Psicologia Clínica e Assistência Social, a nível do estudo/investigação, avaliação e intervenção psicológicas, nos problemas e perturbações psíquicas, intervenções em crise (perda de referência e procura de uma solução imediata), aconselhamento e intervenções institucionais, bem como na promoção, prevenção e manutenção da saúde física e psíquica dos indivíduos.

Perfil

O Licenciado em Psicologia Clínica e Assistência Social é um profissional de Saúde com capacidades para realizar Diagnósticos Clínicos, manusear material auxiliar de diagnóstico, realizar projectos de intervenção hospitalar e comunitário, bem como o estudo, seguimento e encaminhamento de casos individuais e/ou de grupo, tendo como linha de actuação o estrito respeito pela ética e deontologia profissional.

Os graduados deste curso são profissionais com conhecimentos das Políticas de Saúde a nível nacional, e com ferramentas necessárias para organizar, administrar, planificar, programar, supervisionar e controlar a gestão dos serviços de Psicologia Clínica, actuando de acordo com os princípios éticos da profissão.

Competêncais

No fim do Curso, o Licenciado em Psicologia Clínica e Assistência Social, adquiriu as seguintes competências:

  • Atender pacientes através da aplicação dos seus conhecimentos científicos e respeitando os princípios deontológicos da profissão;
  • Desenvolver relações recíprocas com os seus colegas de trabalho, baseadas no respeito pelo trabalho de cada um;
  • Diagnosticar perturbações de aprendizagem e de comportamento;
  • Fazer a Avaliação Psicológica, dar o Diagnóstico Clínico e propor a Intervenção em indivíduos e grupos identificados para fins de prevenção e tratamento;
  • Fazer o Aconselhamento Psicológico e a Psicoterapia;
  • Orientar continuamente os jovens e adultos nas escolhas académicas e profissionais desde o ensino primário, secundário ou equivalente;
  • Participar em actividades de estudos comportamentais dos pacientes e fazer assistência social às crianças, adolescentes e idosos, quer nos seus domicílios, quer em postos de saúde;
  • Participar em programas de investigação aplicada à psicologia clínica e saúde mental;
  • Participar no desenvolvimento de programas de intervenção em Psicologia Clínica;
  • Preocupar-se com a auto-formação e formação contínua, para uma melhoria das condições oferecidas pelo serviço;
  • Promover a saúde e a devida intervenção em situações de doença física e mental.

Saídas Profissionais

A formação científica na área de Psicologia Clínica e Assistência Social prevê um leque alargado de opções profissionais nas instituições públicas, sem fins lucrativos e privadas, ao nível local, regional, nacional, comunitário e internacional.

O leque inclui a prestação de serviços nas seguintes instituições:

  • Centros Comunitários;
  • Centros de Apoio à Velhice;
  • Entidades públicas e sem fins lucrativos de defesa dos direitos da criança e de vítimas de violência doméstica;
  • Hospitais e Centros de Saúde;
  • Instituições de saúde mental e serviços de apoio à família;
  • Instituições escolares,etc;
  • Lares residenciais;
  • Serviços de apoio ao deficiente, quer ao nível local quer regional;
  • Serviços públicos de segurança social.

Plano Curricular

Como forma de completar o curso de Licenciatura em Psicologia Clínica e Assistência Social, cada estudante deverá aprovar a todas disciplinas, as quais perfazem um total de 249.68 créditos académicos.

Mestrados

Mestrado em Saúde Pública

Grau académico:

Mestrado em Saúde Pública

Título Profissional:

Mestre em Saúde Pública

Duração:

2 Anos


O Mestrado em Saúde Pública é criado no âmbito do desenvolvimento institucional da UCM como forma de responder aos novos desafios na área de ciências da saúde.

A partir do ano 2000 a UCM abriu na Beira, a Faculdade de Medicina, actualmente denominada de Faculdade de Ciências da Saúde (FCS), que ao longo destes anos, dedica-se à formação de técnicos e especialistas em saúde, ao nível de Licenciatura, nas áreas de Medicina, Enfermagem, Análises Clínicas, Administração e Gestão Hospitalar, Farmácia, Psicologia Clínica e Assistência Social e, contribui, assim, para o aperfeiçoamento e a qualificação do pessoal e o aumento da qualidade de atendimento na rede nacional da saúde.

Todavia, no mundo de rápidas transformações e mudanças, impulsionadas pelas tecnologias de informação e pela velocidade de construção de novos conhecimentos sabe-se que os pressupostos técnicos/práticos e teóricos que os profissionais de saúde adquirem em níveis anteriores e de Licenciatura seriam insuficientes para habilitá-los às competências e aos saberes necessários a essa área, tão sensível e delicada. Daí a necessidade de aprofundamento da formação dos profissionais de saúde em níveis de Pós-Graduação, o que motiva a criação do Mestrado em Saúde Pública.

Com a criação do Mestrado em Saúde Pública, a UCM participa de forma activa na concretização do preconizado pela legislação do Ensino Superior, ora em vigor em Moçambique, no sentido de “desenvolver acções de pós-graduação tendente à profissionalização científico e técnico dos docentes e dos profissionais de nível superior em serviço nos vários ramos e sectores de actividades”. (Cfr. Lei 5/2003, de 21 de janeiro, art. 3, alínea f).


OBJECTIVOS DO CURSO

Objectivos Gerais

No final do curso de Mestrado em Saúde Pública os graduados deverão: desenvolver conhecimentos, aptidões e competências teóricas e práticas que os habilitem à realização de análise, planificação, desenvolvimento, implementação e avaliação de políticas públicas e tecnologias em saúde, tendo em conta os contextos epidemiológicos, social e ambiental no cenário nacional e internacional, em prol da melhoria da saúde das populações e do sistema de saúde, tanto em Moçambique como em âmbito mais alargado do continente africano e do mundo, no plano científico, profissional e da cidadania.


PERFIS DO CURSO

O curso de Mestrado em Saúde Pública a ser desenvolvido pela UCM-FCS vem atender à formação no mais alto nível. Neste sentido, o curso pauta por uma exigência maior no perfil de entrada que se manifestará no perfil de saída e ocupacional dos futuros mestres.

Perfil de entrada

Podem candidatar-se ao curso de Mestrado em Saúde Pública da UCM-FCS:

  1. Candidatos que tenham concluído o nível de licenciatura ou equivalente, devidamente reconhecido pelas autoridades moçambicanas, em áreas de Medicina, Enfermagem, Análises Clínicas, Farmácia, Ciências Veterinárias e Biológicas, Ciências Sociais, Economia e áreas afins;
  2. Os que tendo concluído o nível anterior demonstrem a partir de um concurso documental possuir capacidades básicas para a sua frequência

Perfil

Espera-se que ao final do curso de Mestrado em Saúde Pública, os graduados possam dispor de conhecimentos e aptidões que os habilitem a contribuir para a melhoria da saúde das populações e dos sistemas de saúde, tanto em Moçambique como em âmbito mais alargado, no plano científico, profissional e da cidadania para além de competências para:

  1. Reunir, analisar, interpretar e apresentar com rigor o estado actual do conhecimento sobre as principais questões da Saúde Pública e as suas vertentes;
  2. Participar na planificação, execução e avaliação de acções concretas nos sistemas de saúde e na comunidade;
  3. Contribuir, como profissionais e cidadãos, para a melhoria da saúde e dos sistemas de saúde, tanto no País como no conjunto da África e, sempre que se proporcionar, num âmbito ainda mais alargado, particularmente nos países do mundo inteiro;
  4. Reflectir e avaliar, crítica e continuamente, a respectiva prática profissional;
  5. Exercer actividades específicas nas áreas de especialização previstas.

Competências

Especificamente, ao fim do curso de Mestrado em Saúde Pública os graduados devem ser capazes de:

  1. Promover a saúde, reduzindo o impacto das doenças entre as populações; a partir da planificação, execução e avaliação de acções concretas nos sistemas de saúde e nas comunidades;
  2. Actuar criticamente no desenho de estudos e práticas de saúde pública a partir de conhecimentos acumulados sobre os processos ecológicos, evolutivos e sociais envolvidos no surgimento de epidemias e endemias das doenças transmissíveis.
  3. Realizar investigações interdisciplinares sobre os problemas que emergem na construção e aplicação do conhecimento em saúde pública, através do desenvolvimento da capacidade analítica e interpretativa das realidades socioculturais.
  4. Actuar em áreas de docência e nos diversos âmbitos de formação de profissionais de saúde.

Saídas Profissionais

Espera-se que o Mestre em Saúde Pública possa exercer as seguintes actividades:

  1. Na direcção das diversas instituições do sistema nacional de saúde, organizações não-governamentais e afins;
  2. Na assessoria e consultoria dos órgãos de gestão em saúde de instituições públicas, estatais, privadas e comunitárias;
  3. Na gestão dos processos de certificação da segurança alimentar e ambiental em empresas públicas, privadas e organizações não-governamentais.
  4. Na investigação e docência em instituições de formação na área da saúde.

Plano curricular

Conteúdo não disponível - volte em breve.